Paulo Franke

19 novembro, 2011

À sombra sinistra do nazismo (3) Sobibor/I.Sendler

Aos leitores cinéfilos: a postagem sobre T.E., que ficou em suspense, será a próxima. Obrigado!

_____________________________



Este menino poderia ser um típico nascido nos anos 40, bem penteadinho por sua mãe para algo raro e importante na época: tirar uma fotografia! E não aconteceu o mesmo conosco, os que nascemos naquela época?

Algo diferente, no entanto, aconteceu com o menino da foto: foi morto no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, por ser judeu...




Parte do grupo que sobreviveu à revolta no campo de concentração de SOBIBOR, na Polônia, em 14 de outubro de 1943. Dos 600 que tentaram sobreviver fugindo para a floresta, somente 300 ou 400 o fizeram, porém devido a minas na floresta, outras circunstâncias e sendo delatados por poloneses, cerca de somente 50 sobreviveram.

Como resultado da revolta, os alemães fecharam o campo. Trinta judeus de Treblinka foram nomeados para destrui-lo. Eventualmente, foram fuzilados.

Dos que sobreviveram à revolta, um deles mais tarde foi para o Brasil. Veja no link abaixo o filme "A Fuga de Sobibor" (Escape from Sobibor):

http://www.youtube.com/watch?v=s4stuU9yc4k

______________________



Placa no que restou do muro do Gueto de Varsóvia.

Tive a satisfação de recentemente dar informações a uma amiga brasileira do Facebook de como chegar a Treblinka e conhecer em Varsóvia o que restou do gueto. A foto é dela. Veja no Índice de todos os meus tópicos minha própria aventura, com muitas fotos, ao visitar na Polônia os lugares citados e ainda a visita à Fábrica-Museu de Oskar Schindler

_________________________________




Recebido por e-mail de um amigo do estado do Rio de Janeiro:

"...o temor da guerra é pior que a mesma guerra. A guerra é doce para os que não a conhecem, ”os rebeldes sem causa” querem a guerra, os homens da “velha guarda” tremem de horror em somente pensar nela. A guerra é realmente e sem temor de dúvidas a maior praga que pode afligir a este triste formigueiro humano. As maiores guerras nascem de causas triviais. O mais terr­ível das guerras é a que mata todo amor, a verdade é que o homem se converte numa besta sanguinária e desapiedada que só pensa em matar ou ser morto. A guerra torna estúpido o vencedor e rancoroso o vencido."

Samael Aun Weor


______________________________________

Relembrando o glorioso e heróico feito de Irena Sendler:



Em visita um tanto recente ao Museu do Holocausto Yad Vashem, em Jerusalém (veja Índice), surpreendi-me com a frondosa árvore plantada em memória à Irene Sendler, em um lugar de destaque no Jardim dos Justos de Todas as Nações.

Tendo recebido sua história esta semana de meu concunhado, vai como reprise neste blog, o que nunca é demais relembrar (como poderá ver, foi amplamente divulgada como mensagem em e-mails):


Uma senhora de 98 anos chamada Irena faleceu em maio de 2008.

Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações.

Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazistas relativamente aos judeus.
Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua caminhoneta (para crianças de maior tamanho). Também levava na parte de trás da caminhoneta um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto.

Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.
Enquanto conseguiu manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.

Por fim os nazistas apanharam-na e partiram-lhe ambas as pernas, braços e prenderam-na brutalmente. Os nazis souberam dessas atividades e em
20 de Outubro de 1943; Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a infame prisão de Pawiak onde foi brutalmente torturada. Num colchão de palha encontrou uma pequena estampa de Jesus Misericordioso com a inscrição: “Jesus, em Vós confio”, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu ao Papa João Paulo II.

Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou-se a trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os
ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Foi condenada à morte. Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um "interrogatório adicional". Ao sair, gritou-lhe em polaco "Corra !". No dia seguinte Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados. Os membros da Żegota tinham conseguido deter a execução de Irena subornando os alemães, e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.

Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, que guardava num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim.
Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adotivos.
No ano passado foi proposta para receber o Prêmio Nobel da Paz... mas não foi selecionada. Quem o recebeu foi Al Gore por uns dispositivos sobre o Aquecimento Global.

Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida!! Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem. Espero que faças o mesmo.

Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. Este e-mail está a se reenviando como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos e 1.900 sacerdotes católicos que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados com os povos da Alemanha e Rússia olhando para o outro lado.

Agora, mais do que nunca, com o Iraque, Irã e outros proclamando que O Holocausto é um mito, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça.

"A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância. Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade." - Irena Sendler

______________________________________________


Veja fotos de Irena, antes e depois, e leia algo mais sobre seu feito, inclusive veja a capa do DVD sobre sua vida:


http://paulofranke.blogspot.com/2009/05/irena-sendler-mae-dos-meninos-do.html

__________________________________________

L i n k

Através do "Índice de todos os meus tópicos", localize as duas anteriores postagens da série.

__________________________________________

3 Comments:

  • Diversos comments no Facebook:

    Martta Franke da Silva Lindo menino! Está com o justo e misericordioso Deus agora.

    Yara Mattos Que o Senhor permita que nunca mais se repita tal coisa! Esse lindo sorriso não morreu!

    Gloria Policano Um pesadelo que ainda nos atormenta e entristece..

    By Blogger paulofranke, at terça-feira, novembro 15, 2011 5:04:00 PM  

  • Uma amiga me indicou seu blog e, amei. Como ela, fiquei sua fã.
    Parabéns e obrigada por prestigiar nosso povo.
    Que o Eterno o abençoe!
    Sarai

    By Blogger paulofranke, at segunda-feira, novembro 21, 2011 8:43:00 PM  

  • Olá amigo Paulo. Como sempre, visitei seu blog e li sua última postagem, e gostei muito de aprender mais um pouquinho sobre o nazismo, e principalmente de saber que existiu mais uma grande mulher chamada IRENA SENDLER. Até então não tinha ouvido falar dela. Gosto muito mesmo de suas matérias, e sempre as esperocom ansiedade, pois sempre são temas que muito me interessam...Obrigada amigo...

    Tati

    By Blogger paulofranke, at terça-feira, novembro 29, 2011 9:07:00 AM  

Postar um comentário

<< Home