Paulo Franke

12 junho, 2012

Lambretas... Vespas... Motos... Hold on your hats!




De repente, passando por uma rua transversal à badalada Nevskiy Prospekt, no centro de São Petersburgo, vi numa vitrine uma... Lambreta (foto abaixo)! Guardei devidamente a foto para um dia fazer uma postagem sobre Lambretas, Vespas... e Motos. Chegou o dia!



Ao admirá-la, transportei-me rapidamente aos dias da adolescência nos anos 50... E quem viveu naquela década, e na seguinte, certamente pode até "ouvir" o barulho do motorzinho delas, quais vespas, correndo pelas nossas ruas do passado, dirigidas por rapazes de calças-de-brim-coringa ou calças faroeste, no tempo em que Jean(s) era só nome de artista.



Custei, mas achei esta foto make-believe do passado de minha esposa, com sua irmã ao violão e amigos, no início dos anos 60 no Rio.




"Estúpido Cupido", de 1976 mas inspirada no ano de 1961, a última novela em preto-e-branco da TV Globo, onde os jovens exibiam suas lambretas na pracinha central da cidade de nome fictício Albuquerque. Foi filmada na cidade de Lins-SP, onde tenho parentes que visito quando vou ao Brasil. Parece que foi a primeira novela em que atuou a gaúcha Maria Della Costa. Examente em 1961 ela foi à firma onde eu trabalhava em busca de um tapete de couro. Coube a mim atendê-la - mostrei-lhe diversos, mas os achou caros e não comprou nenhum. Meio desapontado, esqueci-me de pedir-lhe um autógrafo. Anos mais tarde fomos visitar sua Pousada em Paraty-RJ, mas ela não se encontrava. (Fotos Site Mundo das Novelas)



Logo que nos casamos fomos dirigir o Exército de Salvação na cidade portuária de Rio Grande-RS, onde ainda temos parentes e amigos. Um deles enviou-me esta foto de grande criatividade ( Sobrepostas - Belas fotos de Rio Grande).



"A Princesa e o Plebeu" (1953), Roman Holiday, do diretor William Wyler, e na foto a princesa Audrey Hepburn conduzindo em uma Vespa o assustado repórter Gregory Peck.



O guia para cinéfilos-viajantes que divulguei há pouco por aqui menciona o filme e a marca Vespa (ver link abaixo).



E quem não se lembra de alguma vez ter assistido a este espetáculo no circo? Se não me engano, as primeiras motos com seus roncos assustadores que vi na vida faziam parte do show-suspense, que mais tarde foram adicionando mais motos.


Rio Grande-RS (1974-76), onde nasceram nossas duas filhas. Recebíamos às vezes a visita do meu irmão em sua Yamaha. Ainda que eu esteja com jeito de motoqueiro, a foto foi só de faz-de-conta.




Capa do "Brado de Guerra - contra todo o mal", de 9/1985, quando eu finalizava meu segundo termo como Editor e em "alta velocidade" fomos transferidos para os EUA.



Um show made in USA de carros e motos em Åland, quando lá vivemos. Muito divertido e criativo, com lances perigosos às vezes. E alguns motoristas e motoqueiros... brasileiros!



Na minha opinião motos dão boas fotos - como esta da cidade atual onde vivemos -  mas dirigir uma delas, o que já aconteceu comigo em Lisboa, é outra história. Sem comentários.



Por aqui elas ficam assim no inverno, mas é só "sacudir a poeira" e prosseguir.





O antigo e o novo... uma rua onde já moramos em Helsinki.



Em Paris, revendo duas amigas da década de 60... do tempo das lambretas. A foto foi tirada diante de um dos mais famosos restaurantes parisienses que, com as possantes motos, deu uma boa foto de faz-de-conta tirada pelo meu neto (tínhamos ido a uma pizzaria ali perto, por sinal muito boa!)



Uma moto moderna contrastando com os muros da antiga Jerusalém. Indo para o meu hostel dentro do Muro de Jaffa, não deixei escapar a oportunidade de fotografá-la.


No jornal de nossa cidade, que parece ter um bom clube de motociclistas.



Quem são esses sujeitos?? De fato, encontrei muitos deles quando fui ao congresso do ES da Noruega - inclusive com suas motos participando da grande marcha - e observei-os ao longe no congresso aqui na Finlândia. Eles fazem parte do The Salvation Army Riders Motorcycle Club International, o primeiro clube de motociclistas cristãos no mundo, que tem sido iniciado no ES. Clique no link abaixo para saber mais a respeito do grupo que foi iniciado na Noruega em 2001 e que já é bem popular no Canadá. Ah! se a moda pega!


The Salvation Riders Motorcycle Club International is a ministry  leadership of the Salvation Army in Norway, at OOOOOOOOOOO


Além de fotografar seus passeios - dele a foto acima - um parente meu assim se expressou quando lhe perguntei sobre a experiência de pilotar uma motocicleta (capte a sua vibração!):

Pilotar uma motocicleta significa, para mim, a possibilidade de estar com amigos, pois o faço sempre com pessoas que igualmente curtem passeios com elas. São momentos entre amigos extremamente gostosos. Em segundo lugar, a sensação de liberdade que uma moto proporciona, com o vento no rosto, é algo indescritível;  como ouvi certa ocasião, quando se passeia de carro, aprecia-se a paisagem, mas quando se passeia de moto, integra-se a paisagem. Finalmente, por constituir um transporte ágil e barato, ela proporciona a possibilidade de passear estradas à fora, conhecendo novas localidades, pessoas, costumes etc. Integre esses três aspectos e você terá a idéia de o quão gostoso é passear de moto, o quão agradável é, o quanto nos faz bem, o quanto desestressa etc. É, realmente, algo sensacional.




Foto que igualmente me cedeu. Que Deus te proteja, caro primo, no passatempo que tanto te empolga!

(E que Deus proteja também os milhares de moto-boys que ganham a vida expondo-se a tantos perigos nas ruas e avenidas paulistanas,  tornando o trânsito de São Paulo ainda mais complicado e perigoso, infelizmente).




Em Florianópolis recentemente, fiquei na Avenida Beira-Mar esperando meu sobrinho Franke-Nebel... que daqui a pouco chegou sorridente do outro lado da ilha com sua moto. Bons e belos rápidos momentos à beira-mar com ele!




The last but not the least... caminhando por aqui, ao cruzar uma estradinha num desses

invernos, dois rapazes de snowmobil - com pinta de extraterrestres - pararam para eu

passar. Agradeci a gentileza e ainda pedi-lhes um pequeno favor: posarem para uma foto.

Agradeci novamente e os vi prosseguirem a alta velocidade escalando uma pequena

montanha de neve. Coisas daqui!

______________________

L i n k s:

2 Comments:

  • Ficou muito legal a matéria, Paulo! Parabéns!!!

    Esclarecendo: a motocicleta da foto do guidão é uma Yamaha XVS-950 "Midnight Star", uma custon ou estradeira, ou seja, uma moto grande muito boa para passeio de final de semana estrada afora... A moto menor, a branquinha, é uma Dafra Citycom 300i, uma "scooter", denominação atual das antigas motonetas tipo lambreta. Esta última é ótima para o dia a dia dos centros urbanos.
    Forte aBRaço e, mais uma vez, parabéns pela matéria.
    Primo

    By Blogger paulofranke, at segunda-feira, junho 18, 2012 1:47:00 PM  

  • Uma única vêz subi na "garrupa" de uma moto, tive uma sensação de liberdade, parecia que estava voando, realmente o vento no rosto é delicioso!
    Mas a alegria durou pouco, logo desci pois acho um veículo muito perigoso e agradeci à Deus quando meu filho trocou a moto pelo carro.
    Amei ver a Ritta e Anelli numa vespa, andei muito numa vespa (lambretta) pois o medo e consequências, ainda não estavam tão latentes na minha adolescência.
    A foto sobreposta é digna de destaque, muito boa mesmo!
    Parabéns pela postagem!

    By Blogger Yara, at segunda-feira, junho 18, 2012 9:17:00 PM  

Postar um comentário

<< Home