Paulo Franke

21 junho, 2017

Algarve - Albufeira -PORTUGAL... Minha recente viagem.

Primeira parte - Introdução, a viagem, mapas etc.
Segunda parte -- - O principal passeio que fiz (e outros)
Terceira parte - O incêndio devastador e Final


- Introdução -

Diante da primavera e início de verão frios - 12 graus + - deste ano na Finlândia, chovendo quase todos os dias e até caindo neve, resolvi viajar para o sul da Europa, precisamente a região sul de Portugal, região onde nunca havia visitado... em busca do SOL!!


Pensando nos meus leitores, a grande maioria brasileiros descendentes de portugueses (eu, pelos nomes Medeiros e Barcellos, com 3/4 do sangue lusitano e 1/4 alemão, pelo Franke), acho útil imprimir o mapa da "terrinha" com alguns pontos de destaque, tais como tiques nas cidade que já conheço, inclusive nas ilhas dos Açores e Madeira (veja links abaixo).

O famoso Algarve, no sul do país, era-me desconhecido, razão pela qual decidi visitá-lo desta vez.  A região é banhada pelo Atlântico e não pelo Mediterrâneo.


Então, do aeroporto de Helsinki, estava viajando para Lisboa, mais do que 5 horas de voo...


 Airbus 320 da TAP


Chegando a Lisboa...


 Gosto de rever pelos ares a famosa Ponte 25 de Abril, que liga Lisboa à Almada.



No moderno aeroporto de Lisboa, troco o portão/gate para Faro, capital do Algarve.


Enquanto espero o meu voo, divertindo-me com as "máquinas voadoras" que vejo pela grande janela.


Olhem que beleza, a fila de aviões que consegui fotografar!


A praia de Albufeira, no Algarve, onde 
se situava meu hotel.



Faz-de-conta que sou eu chegando... rsrs.  Diversões aquáticas as mais diversas, mas não para mim, que certamente passei da idade...



Um pouco da história de Albufeira.


Um bom hotel três estrelas, situado no centro de Albufeira, a uma curta distância da praia.



Havia duas piscinas no hotel...



Esta foi a que dava para o meu quarto, no terraço, quase particular...


Esta florzinha azul conhecida cobria o corredor que dava para o refeitório, no caso para o local do café da manhã ou para o bar da segunda piscina, em outro andar.


A paisagem da piscina para a cidade.

_______________


Segunda parte - Os comes-e-bebes, passeios e o principal passeio que fiz


Comer peixe é um must, a grande pedida para a maioria dos que fazem turismo pelo país. E vinho, o que, abstêmio total, não bebo.



Como não poderei estar presente aos 90 anos do meu caro tio Delmar - destacado engenheiro civil - no próximo domingo no RS, decidi homenageá-lo indo ao belo restaurante com vista para o mar, que leva o seu nome (a propósito, minha avó paterna, mãe de Delmar, o "caçula", e dos saudosos Darcy, meu pai, e das tias Dalva e Dulce, era descendente de açorianos da Ilha Terceira, conforme o mapa de Portugal e ilhas, publicado no início desta postagem. Quis visitar a ilha, mas como fui aos Açores no inverno, não havia embarcação para lá.



O prato escolhido: bacalhau, evidente!
Durante o almoço, fiz alguns comentários com o simpático chef...  o bacalhau comum no Brasil, tem o gosto deste que eu comia (muito delicioso!), mas a consistência é outra, talvez por ser o nosso conservado salgado. A diferença é também que no Brasil é comum ser servido misturado com batatas ou como bolinhos, o que em Portugal vem a batata em separado; bolinho deve ser receita brasileira, pois perguntei também em outros restaurantes e desconheciam ou pelo menos não serviam. Certa vez recebemos um bom pedaço de bacalhau oriundo do nosso país vizinho, a Noruega. Quem nos presenteou o fez a outras pessoas amigas também e todos devolveram o presente, por não saberem preparar o in natura...



Outra vez fotografei o cardápio para me "situar", mas são tantos os pratos de peixe que desisti de entender... (salmão é um peixe muito comum na Finlândia, portanto não o pedi.)


De outra vez, em outro restaurante, optei pelo peixe mais simples e barato, o típico  fish and chips inglês. que vem sem salada (óleo e vinagre presentes em todos os restaurantes). Muitos ingleses e irlandeses entre os tantos turistas.



Comer com vista para o "areal", como chamam praia, é algo bem relaxante!


Em outro lugar comia sempre a sobremesa, "gelado", como chamam sorvete. 



Explorando a praia de Albufeira e subindo os lances de escada rolante para vê-la do alto.



Bela vista do "areal", novamente como chamam praia.


Um selfie pra dizer que estive realmente aqui.


Vista da praia de Albufeira. 


Quase comprei os chinelos da minha marca preferida, Levi's (já postei no meu blog a origem do famoso nome e da firma de judeus).

- O principal passeio -



Estas formações, típicas das praias do Algarve, foram o motivo principal que me fez escolher visitar o famoso local pela primeira vez.



Como passeio principal considero o que escolhi acima, valendo pelas cavernas e grutas, pois os golfinhos fizeram greve e não apareceram desta vez. As fotos a seguir são de minha câmera. Outras fotos foram tiradas pela guia do passeio, mas até agora não chegaram pelo meu e-mail... tão logo cheguem as incluirei a esta postagem. O pequeno barco, tipo de polícia marítima, ainda que às vezes nos fizesse sofrer pelos solavancos, é melhor do que outros barcos maiores que não conseguem penetrar em muitas cavernas/grutas pelo seu tamanho..








































Saindo das cavernas...

e voltando para a civilizacão.



Sempre admirei as luminárias portugueses que independem de postes de cimento ou madeira (como nos Estados Unidos).


Numa ruela perto do hotel esta casa chamou-me a atenção...


Foi a casa de um tradutor do passado... E falar nisso, algumas vezes recorri a duas garconetes do hotel - brasileiras há algum tempo trabalhando em Portugal - para que me servissem de intérpretes, em casos quando era impossível entendê-los... a mesma língua, porém nem sempre a mente brasileira "batia" com a portuguesa.
Admirei-me do canal na TV que passa unicamente novelas e shows brasileiros. Vim a saber que os portugueses gostam muito... mas já ouvi críticas também quanto a isso. Pessoalmente, entristeci-me com o baixo nível moral de muitas novelas brasileiras.



O gatinho português dedicado a tantos amigos do Facebook que amam felinos de paixão. Gosto deles, mas não é o meu caso.


Gostei de um docinho da região, feito de marzipan, no caso um coelhinho.


E falando em coisas diferentes, vejam esta Colonia de Gatos na praia...


Isto nunca vi na Finlândia, onde há muitos fumantes, infelizmente.


Com uma camiseta de Copacabana, presente de minha filha.


E o boné Brasil, que comprei na Grécia.

______________


Terceira parte - O incêndio devastador

Quem dera não precisasse existir esta parte no passeio... tragédia ocorrida enquanto eu estava em Portugal.




Acordando e indo para a piscina naquela manhã, perguntei a alguns hóspedes conhecidos... "Digam-me, estamos na Índia ou no Paquistão?" 
Estava nos 37 graus e estranhei o calor sufocante daquela sexta feira...
Logo, assistindo a TV do quarto, fiquei ciente da maior tragédia ocorrida no país nos tempos modernos...




Cenas chocantes a todo o momento, noticiadas no mundo inteiro. A que muito me impressionou foi a dos carros incendiados na estrada... Na tentativa de escaparem do fogo, fizeram a decisão que lhes custou a vida, motoristas sozinhos ou acompanhados pela família tomaram a estrada e o cáos dos automóveis chocando-se um no outro no desespero de escaparem não os levou adiante, somado ao fogo, que atravessava ambos os lados da estrada levado pelo vento furioso que.os atingiu e os matou (62 mortos e 59 feridos foi o saldo tenebroso da tragédia).


Esta foto, de uma casa esportiva na frente do hotel, vem a calhar não no sentido esportivo, mas espiritual para que o bravo povo português vá em frente com força e coragem em face da a terrível experiência daquela semana.


E que a fé os faça fortes, pois se há algum consolo é o que vem da Bíblia; na foto  o Novo Testamento do hotel oferecido pelos Gideões de Algarve aos hóspedes.

__________________________________________

The last but not the least...


Minha melhor amiga de Portugal, Maria Tereza, conhecida de quando trabalhamos em Lisboa, no Corpo de Picheleira, em 1978, veio fielmente encontrar-me já que eu passava novamente por Lisboa em mais uma escala de voo.


Trouxe consigo desta vez sua filha, uma nova amiga no Facebook, e tivemos belos momentos juntos em um restaurante do aeroporto.


Depois de certa hora foi a vez de nos despedirmos e embarcar rumo à Finlândia, no voo que na volta foi de apenas 4 horas.


Fiz amizade - não só de Facebook - com o finlandês-sueco Sebastian, com quem falei bastante o espanhol (talvez um portunhol ou espanhês, nos quais sou fluente), já que ele pelas suas muitas andanças pela América Latina gosta muito de falar o idioma. 


Um breakfast no aeroporto antes de prosseguir de ônibus Hameenlinna (1 hora e 15min) -Tampere.



Chegando em casa, enfeitando nossa sala a planta da Anneli que floresceu enquanto eu estava fora. Lá fora, os costumeiros 12 graus +...

Graças a Deus por mais esta viagem que Ele me concedeu!

_________________________

L i n k s

Copie o link e transporte-o para o seu browser/barra de endereços:

Um video de Albufeira:

https://www.youtube.com/watch?v=NiRSWXwCbAY

Quando fui aos Açores:

http://paulofranke.blogspot.fi/2006/07/minhas-razes-ii.html

A visita à bela Madeira:



Voltando a Portugal e revendo amigos, depois de 38 anos:

http://paulofranke.blogspot.fi/2014/03/5-lisboa-voltando-depois-de-38-anos.html

_____________________________

Obrigado pelo tempo tomado em ver esta extensa postagem!

6 Comments:

Postar um comentário

<< Home