Paulo Franke

23 setembro, 2017

5 - A boa vontade de Deus - (Riitta Eliasen)














Lembro-me de quando era jovem muitos falarem de forma um tanto negativa a
respeito da vontade de Deus. No meu próprio ambiente cristão as pessoas
explicavam que cada um devia carregar sua cruz que era muitas vezes pesada e
difícil. Fiquei então com a impressão de que a vida na vontade de Deus incluiria 
um sacrifício muito pesado. Eu não queria saber qual era a vontade de Deus para
a minha vida, pois estava com medo de que isso seria algo muito penoso e difícil.

Então chegou o dia maravilhoso quando eu entendi que a vontade de Deus era
algo bom. Ele me amava e Seu plano para a minha vida era melhor do que os meus
próprios. Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos 
caminhos os meus caminhos, diz o Senhor, porque assim como os céus são mais 
altos do que a terra, assim são os meus caminhos e os meus pensamentos mais 
altos do que os vossos pensamentos (Isaías 55:8-9).

É a vontade de Deus boa, ainda que exista tanto sofrimento no mundo - mesmo 
para aqueles que pertencem a Jesus? Podemos responder a isto de diversas
formas. Há dias, porém, em que não temos nenhuma resposta a esta difícil 
pergunta. Neste mesmo contexto, é bom lembrarmo-nos de que a morte, a dor, 
a reclamacão e as perturbacões são resultado do pecado que entrou no mundo. 

O coracão de Deus sofre quando vê as dificuldades que as pessoas enfrentam. 
Disse ainda o Senhor: Certamente vi a aflicão do meu povo, que está no Egito, e
ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheo-lhes o sofrimento, por
isso desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela 
terra a uma terra boa e ampla terra que mana leite e mel (Êxodo 3:7-8). Deus
havia planejado o livramento do povo antes da criacão do mundo. Deus quer
livrar todos os que estão sob o peso do pecado. A vontade de Deus é que cada
pessoa seja salva e venha a conhecer a verdade. Ele não quer que ninguém 
pereca, mas que todos se convertam. Dize-lhes: Tão certo como eu vivo, diz 
o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do perverso, mas em que o perverso
se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos! (Ezequiel 33:11)

O profeta Jeremias escreveu sobre paz, futuro e esperanca que faziam parte
dos planos divinos. Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para a Babilônia
setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa
palavra, tornando a trazer-vos para este lugar. Eu é que sei que pensamentos 
tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para 
vos dar o fim que desejais (Jeremias 29:10-11). 

Jeremias escreveu estas palavras em uma carta àqueles que de Jerusalém foram
prisioneiros para a Babilônia. Setenta anos é um longo tempo. Nós podemos 
pensar que não foi fácil crer nessa mensagem de esperanca naquelas 
circunstâncias. Também nós temos experimentado tempos nos quais não víamos
nenhuma esperanca. Podemos mesmo assim descansar na certeza de que o
caminho de Deus é um bom caminho. 

Às vezes trava-se uma luta entre a vontade de Deus e a nossa própria vontade.
Mas se cremos que os planos de Deus são melhores do que os nossos, podemos
orar as palavras do cântico: 

(traducão literal do sueco): 

Vai queimando, fogo queima,
Profundamente, fogo do Espírito. 
Queima todo o impedimento, 
Mostra claro qual é a vontade de Deus.

Queima, chama, queima para a eternidade, 
Espírito Santo, queima em mim. 
Entrego-te a minha vontade novamente,
para que ela se torne a mesma Tua. 

(John Gowans).

Há seguranca quando andamos com Deus. É muito melhor nos mantermos no
caminho de Deus e na Sua vontade. É perigoso seguir os próprios caminhos. 
Jesus disse: Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus,
mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus (Mateus 7:21).

Bem-aventurado são aqueles que entendem a vontade de Deus e conhecem a 

Sua palavra e vivem segundo ela. Às vezes pode vir um momento em nossas
vidas quando perguntamos o que havemos de fazer em uma determinada 
situacão. Para onde iremos? É difícil saber qual é a vontade de Deus.
O apóstolo Paulo nos dá este sábio conselho:

Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovacão da

vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita 
vontade de Deus (Romanos 12:2).



4 - Dê primeiro para Deus (Riitta Eliasen)

 General Eva Burrows, o 

A General Eva Burrows vsitarou a Espanha e Canárias quando Riita
e Samuel eram os Chefes do ES na Espanha (anos 90).
__________________________

Quando no Antigo Testamento o povo comemorava uma data especial dava ofertas ao Senhor. 
Mas nem sempre o Senhor Se agradava daquelas ofertas. Algo estava errado entre o Senhor
 e eles. 
Assim disse o Senhor no tempo de Isaías: As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a 
minha alma as aborrece, já me são pesadas: estou cansado de as sofrer (1:14)
 O Senhor assevera o Seu povo: Não continueis a trazer ofertas vãs (13), eu escondo 
de vós os meus olhos (15).
Que má era essa relacão com o Senhor! Eles comemoravam ocasiões festivas de uma maneira
 enganosa. O Senhor não aceitou aquelas ofertas. Ele não quis nem mesmo vê-las.

Por quê? Porque eles comomoravam somente por constar no calendário. Eles observavam
 os costumes exteriores, mas seus coraCões não participavam. Deus não recebe ofertas com
 motivos errados. Deus quer que ofertemos de coracão.
Às vezes nós ofertamos com motivos errados. Guardai-vos de exercer a vossa justica diante
dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte não tereis galardão junto de 
vosso Pai celeste (Mateus 6:1)O que eu dou é algo entre Deus e eu.

Uma maneira de evitar dar de forma errada é dar primeiro para Deus.
Para compreendermos o quanto é importante dar primeiro para Deus devemos voltar
ao início. Moisés anunciou aos israelitas... São estas as festas fixas do Senhor, as santas
convocacões, que proclamareis no seu tempo determinado (Levítico 23:4). Eram essas o 
sábado, a páscoa, os pães asmos, a festa da colheita, a festa do ano novo, o dia da expiacão 
e a festa dos tabernáculos.

Percebamos o que Deus diz: Quando entrardes na terra, que vos dou, e segardes a sua
messe, então trareis um molho ds primícias da vossa messe ao sacerdote (23:10). Moisés 
fala a esse respeito também mais tarde: ... tomarás das primícias de todos os frutos do solo,
que recolheres da tua terra (Deuteronômio 26:2). Estes textos bíblicos mostram-nos o 
quanto é importante a que demos primeiro para Deus. 

Quando eu dou primeiro para Deus demonstro de uma maneira prática que Ele é o primeiro 

em minha vida, conforme Jesus também ensinou: Buscai, pois, em primeiro lugar, o
seu reino e a sua justic(Mateus 6:33).

Se nós não damos primeiramente para Deus, existe o perigo de darmos a Ele somente o que

nos sobra. Damos a Ele somente o resto. ... todos estes deram como oferta aquilo que lhes 
sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento
(Lucas 21:4).

Quando eu dou primeiro para Deus demonstro que Ele cuidará de mim. 

Muitos têm bons motivos para ofertar. Alguns ofertam baseados no dever, outros dão 

porque sabem que é melhor dar do que receber.
Estes motivos são bons, mas o melhor motivo é que essas ofertas aludem a Jesus. Cristo
é o cumprimento de todas as festas do Antigo Testamento, que têm uma associacão com
a obra redentora de Jesus. 

O melhor motivo para o nosso dar diz respeito à alegria da salvacão. Dê, então, o melhor 

para Deus.

_________________

Publicado no "Brado de Guerra" finlandês em idioma sueco, "Krigsropet".
Traduzido pelo dono do blog.

3 - Em sombras ou em luz - (Riitta Eliasen)

Em 1986 tive a oportunidade de ir pela primeira vez a Israel com colegas oficiais americanos, 
entre eles minha cunhada Riitta e seu esposo Sammy. Veja foto do grupo, entre eles, bem à direita,
o casal Eliasen. Muitas licões espirituais Riitta extraiu daquela excursão gloriosa da qual tive
o privilégio de participar também. 

Quando foi Secretária-em-Chefe na Finlândia, Riitta publicou artigos para o Sotahuuto/Krigsropet, 
que me foram enviados por uma colega do Quartel para que, traduzidos, constem neste meu blog4.

O abaixo foi publicado em conexão com a campanha "Entremos na Presenca do Senhor!"/
Kom till Herrens Närvaro ! 
(Paulo M. Franke) 


Tenho durante muitos anos vivido em diferentes lugares na América e percebido que muitos cristãos
 ainda vivem presos ao tempo do Antigo Testamento. Eles acreditam que o caminho para Deus é
 segundo o sacerdote, como no tempo antigo. Cada dia os sacerdotes apresentavam culto e tentavam
 ajudar as pessoas a chegarem à presenca de Deus.

Muitas coisas têm mudado se pensarmos no Antigo e no Novo Testamento. Ora, a primeira alianca
 também tinha preceitos  de servico sagrado, e o seu santuário terrestre (Hebreus 9:1).  Por causa 
disso nós temos um grande Sumo-Sacerdote, Jesus Cristo, e não precisamos de sacerdotes da 
mesma forma como no Antigo Testamento. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre
 Deus e os homens, Cristo Jesus, homem (2 Timóteo 2:5).

Temos agora uma nova alianca fundamentada no sacrifício de Jesus. A primeira alianca é apenas
uma sombra da que estava por vir. Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a
imagem real das cousas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos 
sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem (Hebreus 10:1). Esta nova alianca
 é maior, pois é baseada em promessa mais forte, de acordo com Hebreus 8:6.

No Antigo Testamento o homem viveu em sombra, hoje vivemos na luz. Nós temos a possibilidade
 de viver em uma melhor realidade.

Entremos na presenca do Senhor! Nós podemos vir com coragem à presenca de Deus! No tempo
 do Antigo Testamento era diferente. Não te chegues para cá... (Êxodo 3:5). Um pecador não podia
 alcancar um Deus Santo. Só Moisés se chegará ao Senhor; os outros não se chegarão, nem o povo 
subirá com ele (Êxodo 24:2).

Deus havia dito a Moisés no Monte Sinai: Desce, adverte ao povo que não traspasse o termo até o 
Senhor para vê-lo, a fim de muitos deles não perecerem (Êxodo 19:21). Existiam regras determinadas 
para o povo. Se eles ultrapassassem essas regras, seriam condenados.

As muitas regras no Antigo Testamento confirmaram o fato de que as pessoas não podiam
aproximar-se do Senhor. Contudo haja a distância de cerca de dois mil côvados entre vós e ela. 
Não vos chegueis a ela... (Josué 3:4).

Antes era mais seguro ficar longe, hoje é mais seguro ficar perto.

No Antigo Testamento as pessoas viviam em sombras, hoje vivemos na luz. Temos possibilidade de 
seguir a Jesus. Ele mesmo disse: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas,
pelo contrário, terá a luz da vida (João 8:12).

Hoje é mais seguro viver perto. Mas muitos não o fazem. João explica a razão pela qual
 muitos preferem permanecer nas sombras. O julgamento é este: Que a luz veio ao mundo, e os homens
 amaram maisas trevas do que a luz; porque as suas obras eram más (João 3:19).

É melhor viver na luz. Se vivermos nas sombras estamos em condenacão. Se, porém, andarmos na luz,
como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos
 purifica de todo pecado
 (1 João 1:7).

Se vivemos na luz de Jesus, temos o perdão para os nossos pecados e nenhuma condenacão paira 
sobre nós.

No tempo do Antigo Testamento os homens viviam nas sombras, hoje vivemos na luz!

22 setembro, 2017

2 - "Segue-me... meu fardo é leve" - (Riitta Eliasen)

Segue-me... meu fardo é leve.

O Senhor fala a cada um de nós, pessoalmente, com a palavra: Quanto a ti, segue-me (João 21:22). 
Muitos não querem seguir a Jesus porque acreditam que a vida segundo a vontade de Deus significa
um pesado sacrifício.

Nós nos esquecemos facilmente de que a vontade de Deus é boa; tudo o que vem de Deus é bom e 
completo. Toda boa dávida e todo dom perfeito é lá do alto, descendo do Pai das luzes (Tiago 1:17).

Cantamos: "Todos os caminhos de Deus são bondade e fidelidade" 

Se a vontade de Deus é boa, como pode ser pesada? Disse Jesus: "... Tomai sobre vós o meu jugo,
e aprendei de mim, achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu 
fardo é leve. (Mateus 11:29-30).

A palavra de Jesus a respeito de descanso entrou em oposição com as palavras dos fariseus no
capítulo seguinte, Mateus 12. Mateus cita muitas vezes essa contradição. O evangelista compara 
o ensinamento de Jesus com o pesado ensinamento da tradiçãdos fariseus.

O dia santo de descanso era um ponto alto na lista de exigências deles. Os fariseus seguiam
estritamente todas as regras sobre o sábado. A maioria significava cumprir diferentes coisas.
Eis os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer em dia de sábado (12:2). 
No próximo encontro os fariseus não estavam tão abertos quando apresentavam sua pergunta: 
É lícito curar no sábado? (12:12). A tradição deles tinha-se tornado maior com o passar dos anos.
Ela havia se tornado um fardo pesado. 

Paulo e Barnabé vieram a Jerusalém para se encontrarem com os apóstolos e os anciãos a respeito
dessa pergunta duvidosa. Enquanto o debate transcorria, disse Pedro aos fariseus que vieram para
a fé, conforme lemos em Atos: 5-10. Agora, pois por que tentais a Deus pondo sobre a cerviz dos
discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar, nem nós?

Ainda hoje há muitos cristãos carregando tal fardo. Crêem eles que para viverem de acordo com a
vontade de Deus precisam carregar uma cruz pesada. 

Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. (Mateus 11:28).

Segundo a Bíblia, a vida do cristão não é um pesado caminho de sacrifício. Segue-me... meu fardo
é leve. 

Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos
não são penosos. (1 João 5:3)

Quando tomamos o jugo de Jesus, percebemos que seu jugo é bom. É fácil de carregar. Não pesa
como os fardos que as pessoas tomam sobre si.

Nós temos a  tendência a reclamar a Deus diante de nossas dificuldades. Mas muitos de nossos
fardos não vêm dEle. As pessoas culpam a Deus de muitas coisas que não são culpa dEle. Muitas
vezes somos culpados das tempestades que sobrevêm nas nossas vidas; pode ser culpa de outra 
pessoa, mas nunca é culpa de Deus.

Muitas tempestades da vida temos nós mesmos ocasionado. A pessoa decide e tem que viver
conforme a decisão. Jonas é um bom exemplo. Ele decidiu que não iria para onde o Senhor o
mandava.  Logo aconteceu uma tempestade que assolou tanto a Jonas como àqueles que estavam
com ele.
 A tempestadecontinuou enquanto Jonas insistiu em ir na direção errada.

Para onde você está indo? Segue-me, pois meu fardo é leve.



1 - A Imagem de Deus - perdida e encontrada (Riitta Eliasen)

ARTIGOS DA CORONEL RIITTA HÄMÄLÄINEN ELIASEN
PUBLICADOS NO "WAR CRY" (BRADO DE GUERRA) DA 
FINLÂNDIA QUANDO ELA FOI SECRETÁRIA-EM-CHEFE 
NESTE PAÍS.

- 1 -


A IMAGEM DE DEUS 

PERDIDA E ENCONTRADA.

Nós acreditamos que há somente um Deus, criador e preservador de todas as coisas.
Cremos que Ele nos criou.  Portanto, este mesmo Deus nos tem criado e todos temos o 
mesmo valor perante Ele.

Nós estamos acostumados a considerar que todas as pessoas não têm o mesmo valor 
neste mundo. Esquecemo-nos muitas vezes desta verdade e permanece a idéia de que 
as pessoas têm valores diferentes.

Quando Pedro compreendeu que ele havia entendido errado a pergunta, 
ele disse: 
ReconheCo por verdade que Deus não faz acepcão de pessoas; pelo contrário, em
 qualquer nacao, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável. (Atos 10:34-35)

Deus tem criado todas as pessoas e cada uma delas é valiosa. Deus tem dado a todas
 este valor, sem fazer distincão entre uma e outra. Tudo o que Deus tem criado é bom 
e valioso.

Que valor tem então uma pessoa? Sabemos portanto que não somos "baratos"... não foi 
mediante cousas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados... mas pelo
 precioso sangue (1 Pedro 1:18-19). A pessoa é mais preciosa do que prata ou ouro no 
mundo. Seu valor é o do sangue de Jesus.

Esta graca de Jesus é também associada ao fato de que ela é criada à imagem de Deus.
 No princípio disse Deus: Facamos o homem à nossa semelhanca (Gênesis 1:26).

Se isto é verdade, por que é tão difícil ver a semelhanca divina nas criaturas? 
Podemos ver a imagem de Deus no nosso próximo? Ver a semelhanca de Deus em nós 
próprios? Pode ser difícil ver a imagem de Deus nas pessoas, mas cremos que Sua imagem 
está em todos nós. É difícil ver a imagem de Deus em nós porque está imagem está embacada. 
A imagem de Deus tem sido destruída por causa do pecado. Todos pecaram e carecem da 
glória de Deus. (Romanos 3:23). Temos, portanto, pecado e Sua imagem não é nítida em nós.

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido. (Lucas 19:10). Nós cremos que a 
imagem de Deus pode ser recriada em nós. A clara imagem que desapareceu  pode ser
 reencontrada. Pode ser pelos méritos de Jesus. NEle vemos como é Deus; Jesus disse: 
Quem me vê a mim vê o Pai. (João 14:9) A imagem de Deus é vista no rosto de Cristo.

É possível que a imagem de Deus possa ser vista também em nós? Nós temos a possibilidade
 de ver a glória de Deus... E todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por
 espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na sua própria 
imagem, como pelo Senhor, o Espírito. (2 Coríntios 3:18)

Se olhamos para Jesus somos transformados. Se fizermos isto seremos transformados 
à mesma glória. Aquilo que vemos repetidamente nos transforma. A imagem que vemos no
 jornal e pela TV causam uma impressão em nós e o que vemos pode nos transformar. 

Quão frequentemente você vê Jesus? Não nos tornaremos como Jesus se não olharmo

s para Ele suficiente e continuamente. Precisamos olhar para Jesus para saber como Ele é.
 Quando olhamos de fato para Jesus somos transformados e a imagem de Deus é vista
 com mais clareza em nós.




Traduzido do Krigsropet  (The War Cry) em idioma sueco por Paulo Medeiros Franke