Paulo Franke

25 outubro, 2013

AUSTRÁLIA ¤ Incêndio ¤ SArmy ¤ Filmes ¤ Selos ¤ Links

1. Incêndios - 2. Filmes 

3. Na Austrália - 4. Selos - 5. Links

~~~~~~~~~~~~~~~~

1. I n c ê n d i o




Assistimos durante estes dias pela TV a tragédia que mais uma vez aconteceu na Austrália, o incêndio no mato (bushfire), desta vez nas Blue Mountains, a oeste de Sydney. E mais uma vez acontece também: o The Salvation Army presente levando ajuda material e emocional à população afetada. 
Fotos: salvationarmy.au


2. F i l m e s



Dificilmente compro DVDs, mas quando vi em promoção "Austrália", adquiri-o com alguma curiosidade para saber do que se tratava o filme que há poucos anos foi muito anunciado. Enfim, porque estive no distante país-continente, uma ponta de atração sempre permanece.



Há poucos anos o Year Book do ES publicou esta foto com os artistas do filme, ambos australianos, junto a um salvacionista certamente coletando para alguma finalidade, enorme que é nossa organização-igreja no país (fotos de reuniões, marchas etc. nos links).

__________________

Uma história que não me canso de contar: 
"A Hora Final foi a minha Hora Inicial".

Um filme rodado na Austrália foi um dos três passos que me "arrastaram" para as fileiras salvacionistas, onde estou até hoje! (leia a respeito acessando o link abaixo, "Quando, como e por que ingressei no Exército de Salvação")


Baseado na ficção científica do escritor australiano Nevil Shute, o diretor Stanley Kramer introduziu no seu filme, de 1959, o The Salvation Army com uma mensagem em uma faixa ao povo desesperado diante do holocausto nuclear, cuja nuvem radioativa aproximava-se do país, " Ainda há tempo, irmão!" (There is still time, brother!)


Gregory Peck, Ava Gardner, Anthony Perkins e Fred Astaire estão no elenco... Gregory Peck, o comandante de um submarino americano; Ava Gardner, uma mulher carente à beira do desespero; Anthony Perkins enfrentando um dilema cruel; Fred Astaire, um piloto de corridas que dá um passo radical... Enfim, para entender o filme somente assistindo-o, inclusive encontra-se, em duas partes, pelo YouTube (veja link). A atriz Ava Gardner não agradou aos australianos com sua declaração, que li em um jornal em Melbourne: "Um filme sobre o fim do mundo só podia ser filmado na Austrália mesmo..." 


Depois de assistir ao filme, no ano de 1961, peguei carona na faixa "Ainda há tempo, irmão" e houve tempo para mim também... de mudar da vida que eu começava a viver, em que não faltavam whisky, vodka e cigarro.  Ainda bem que foram poucos meses! Um capitão de sobrenome Fisk, "fisgou-me" ao vender-me um jornal enquanto eu estava em um bar,  o primeiro passo para ingressar no Exército de Salvação, onde estou até hoje, graças a Deus!


Na foto de um intervalo de filmagem, Fred Astaire (que não dança no filme), Ava Gardner e Gregory Peck com o produtor e diretor americano Stanley Kramer (1913-2001).

O meu ingresso no Exército de Salvação, portanto, tem uma ligação com a Austrália... 
_________________________

3. N a  A u s t r á l i a

Uma história que gosto muito de contar... e repetir: 

Estive na Austrália e conto a maxi-experiência no link abaixo,
 "Berimbau em terra de Bumerangue"


Rota para a Austrália naquele tempo: Los Angeles (Hawai) Sydney, Melbourne 
(atualmente, pelo Chile)

Duas reações rápidas de duas pessoas diferentes a quem contei o meu depoimento do ingresso ao ES ligado com a Austrália...

Uma delas foi quando, em 1982, graças ao então Coronel Carl Eliasen, fiz um estágio de três meses em Melbourne, no sul do país. Um dia, contando ao fotógrafo do departamento editorial "my story", ele apressadamente pediu que pegasse o meu quepe e o seguisse. E assim, um tanto impressionado com o que lhe contara, fez-me caminhar com ele não mais do que 200m. 
Ao chegarmos a um edifício público com grandes escadarias, falou-me: "Aqui foram rodadas as cenas onde aparece o Exército de Salvação no filme 'On the beach' (A hora final)!". Surpreso com o que me contava, fiz as poses que me mandou fazer ao fotografar-me.







Naturalmente, fui capa do próximo número do The War Cry australiano...


... que contava para os milhares de leitores australianos minha história. O título "Ainda havia tempo para Paulo" provinha do "There is still time, brother" da faixa sobre os salvacionistas que participaram do filme, mensagem essa que causa impacto na cena final do filme (a mim impactara naquela tarde quando em 1961 quando assisti ao filme).



A primeira "reação rápida" de fato acontecera anos antes, em 1973, quando fui o delegado brasileiro do Colégio Internacional para Oficiais do mundo inteiro (ICO), em Londres. A cada noite um oficial contava sua experiência, para que nos conhecessemos melhor. Naquela reunião foi a minha vez, e não poderia deixar de contar o link ingresso-no-ES-Austrália. Tão logo conclui, o diretor, comissário Albert Mingay (foto), levantou-se de um salto e acrescentou algo que eu jamais soubera.

Ele era o chefe da Austrália-Sul no final dos anos 50, e certa vez uma pessoa pediu para ser atendida por ele no quartel em Melbourne, onde tinha seu escritório. Era o diretor-produtor americano Stanley Kramer que lhe fazia um pedido: fornecer para o filme que estava rodando em Melbourne um grupo de brass-band e algumas jovens pandeiristas. Mingay prontamente aceitou, pois mostrar o ES em filmes é algo bastante comum. 
Um dia, no local de filmagem das últimas cenas, Mingay achou que algo estava faltando na cena e sugeriu a Kramer uma faixa com os dizeres "Ainda há tempo, irmão!" (no caso, subentendido, de aceitar Jesus como Salvador e morrer em paz). Kramer concordou e a faixa impactou o mundo e também a mim, no mesmo hemisfério meridional, mas no sul do Brasil.



Aqui, Stanley Kramer conversa com o ator Richard Windmark durante intervalo da filmagem de "O Julgamento de Nuremberg", também dirigido por ele, o que eu não sabia até agora ao procurar foto do famoso diretor-produtor. A propósito, possuo o excelente filme em DVD, com Spencer Tracy e Marlene Dietrich, e inclusive já estive no local histórico onde foram julgados os nazistas 
(ver link da postagem do meu blog).



A general Eva Burrows, que conheci no ICO como assistente do diretor, por ser australiana nunca se esqueceu de "minha história". Na foto, quando visitou nosso escritório editorial no congresso em 1996 em São Paulo. Quando participei do congresso dirigido por ela em Oslo, Noruega, há alguns anos, quando me encontrou contou "my story" a muitos que não sabiam. 
Tudo por causa da ligação com sua amada terra.





Os dois DVDs que possuo do filme.


"On the beach"


3. Selos

Antigos selos australianos da minha semi-abandonada coleção






4. L i n k s

Tudo o que você quer saber sobre o país-continente AUSTRÁLIA:


Berimbau em terra de Bumerangue.

http://paulofranke.blogspot.fi/2010/02/berimbau-em-terra-de-bumerangue-na.html

Quando, como e por que ingressei no Exército de Salvação.

http://paulofranke.blogspot.fi/2008/05/quando-como-e-por-que-ingressei-no.html

O filme "Hora Final" (On the beach) completo através do YouTube (procure a parte 1), com a música-tema, a tradicional Waltzing Matilda:

http://www.youtube.com/watch?v=_kfzpcls_zI

O Exército de Salvação na parte 2, nos minutos 48.14...55.42... e na cena final o local da reunião ao ar livre deserto.

Disco Dia de Parada 

Waltzing Matilda - australianos marchando e cantando no minuto 4.28

Em Nuremberg, no local do famoso julgamento.

http://paulofranke.blogspot.fi/2008/07/de-trem-pela-europa-4-nuremberg.html

_____________________

Próxima postagem:

Sepulturas de pessoas famosas que visitei ou não.

4 Comments:

  • Abner Campos
    Nossa Paulo cada dia me surpreendo mais com o conteúdo do Blog... boa dica Gostei muito da ligaçao com a historia do filme dirigido por Stanley kramer e a impressionante Também a historia do violino leiloado! Parabéns, grande conteúdo e informaçao/Materialidade e ligaçao... Muito bom mesmo, vou ver se consigo baixar o filme Grande abraço!

    By Blogger paulofranke, at sábado, outubro 26, 2013 8:38:00 PM  

  • Oi Paulo,
    Assisti a este filme que se passa dentro do submarino a procura de sobreviventes do desastre nuclear e existe um aparelho de codigo morse funcionando na Austrália Faz muito tempo e pouco lembro, mas sei que gostei. Estive em 1989 na Austrália com idéia de imigrar, mas acabei tendo de desistir.Certamente teria uma outra vida se tivesse levado a idéia adiante. Abraços do primo

    By Blogger Jartur Avila, at domingo, outubro 27, 2013 4:23:00 AM  

  • Oi, Franke!
    Obrigada aqui da terra dos kangurus ...e koalas
    Realmente, os incendios tem deixado rastros, e muita tristeza.
    Há pessoas que perderam tudo, principalmente coisas de
    valor sentimental. O nosso Exército está lá na frente do combate.
    O Hartmut e o pessoal do corpo e alguns amigos coletaram sexta. É maravilhoso ver como o povo ajuda e nos sentimos orgulhosos de
    fazer parte deste exercito de Deus!
    Estamos longe dos fogos mas a fumaca tem chegado ate nós; como tem muito vento, somos afetados, principalmete com problemas respiratórios.
    Um abraco e que Deus continue usando a sua vida para abencoar outros.
    Carinho,
    Olga Liedtke

    By Blogger paulofranke, at domingo, outubro 27, 2013 6:36:00 PM  

  • Olá, Paulo!
    Como sempre, amei estes comentários a respeito das suas viagens e experiências, as fotos e vídeos relativos aos assuntos...
    Parabéns, mais uma vez.
    Grande abraço. ADY.

    By Anonymous Adelaide Heinzle Redfern, at quarta-feira, outubro 30, 2013 10:09:00 PM  

Postar um comentário

<< Home