Paulo Franke

08 dezembro, 2008

Feliz Natal! - segunda parte


* Merry Christmas - second part *


Na cancão abaixo, o que de todo o meu coracão desejo que neste Natal aconteca nos coracões dos meus caros leitores:

*
A surpresa
*
Lembras da cena do estábulo velho, dos bichos já quase a dormir? Ouve-se um choro infantil, de repente... Oh! Que surpresa ver na manjedoura a dormir, um menino sob as estrelas do céu.
*
E por um momento, agora aqui, deves permitir que, outra vez, venha a surpresa te dominar e a velha cena voltar.
*
Lembras da noite tão silenciosa, mistérios por acontecer? Ouve-se o canto dos anjos, de pronto... Oh! Que surpresa ouvir: lá no silêncio a canção nos dizia da paz que estava por vir.
*
E por um momento, agora aqui, deves permitir que, outra vez, venha a surpresa te dominar e a velha paz te envolver.
*
Lembras que em teu coração já ouviste a história que tanto contou, e recebeste a sua mensagem? Oh! Que surpresa ter esta alegria inimaginável, que te preenche o viver.
*
E por um momento, agora aqui, deves permitir que, outra vez, venha a surpresa te dominar e a velha história voltar, e a velha história voltar.

**

Revista de Natal do Exército de Salvacão na vizinha Suécia

*
Think of the animals found in the stable, all bedded and warm for the night... Suddenly stirred a baby's crying - what a surprising sight! There in the manger a new Child sleeping under the starstuded night.
*
And here, for a moment, again today ,in the midst of all you must do, let the surprise catch your heart once more, making the old story new.
*
Think of a silence that's quite unsuspecting of what the next moment would bring... Suddenly broken by angels singing, what a surprising thing! There in the silence a song was saying: the Child our true peace would bring.
*
And here, for a moment, again today, in the midst of all you must do, let the surprise catch your heart once more, making the old story new.
*

Think of a heart that has heard the same story so often repeated before suddenly catching a glimpse of its meaning. What a surprising thing! Joy that could not until now be imagined, no one could ask for more!
*
And here, for a moment, again today ,in the midst of all you must do, let the surprise catch your heart once more, making the old story new.
*
Letra e música: Joy Webb - traducão para o português: Lucio de Moura Netto

*******************



Há poucos anos fizemos um achado em uma loja de segunda-mão, de algo que há muito eu queria: um toca-discos. Sempre guardei alguns poucos discos comigo, aqueles que escutava na "eletrola" de meu melhor amigo! Com a compra do toca-discos - barato porque a tampa de acrílito estava quebrada - tenho escutado meus antigos discos de vinil e outros que tenho comprado em bazares de caridade do Exército de Salvacão. Por exemplo, no momento desta postagem, com cena de neve em cada janela da casa, delicio-me a escutar músicas de Natal desses discos.


Nos USA o Exército de Salvacão lancava um disco de Natal e convidava diferentes artistas, inclusive de cinema, para narrar trechos das Escrituras, cantar ou declamar. Talvez faca o mesmo hoje em CD ou DVD. Bonito ouvir em um deles Michael Landon (Little House of the Prairie) narrando a história do nascimento de Jesus. Poucos anos mais tarde, Michael morreria de câncer. Teria se lembrado nos seus últimos momentos de Jesus, cujo nascimento tão bem narrou? Li que seu amigo, o evangélico Pat Boone, visitava-o e falava-lhe de Jesus, o Salvador.


A famosa atriz Greer Garson também narrou o nascimento de Jesus e apelou às pessoas a que adquirissem o disco, ajudando assim a obra do Exército de Salvacão naquele Natal de 1978.

Muitos discos apresentam bandas de metais, conjuntos ou corais do The Salvation Army - neste diversas pessoas do meio artístico emprestam seus talentos para recitar poemas, cantar solos ou narrar episódios natalinos, como a famosa atriz Helen Hayes.
**********

E agora, recordando nossos Natais passados...
Continuando... nosso Natal em Fords, New Jersey (1985)

E abaixo, em Michigan (dezembro, 1981)
*
Então a Finlândia aconteceu nas nossas vidas..
.
Neve e luz, uma combinacão perfeita.
*
Esta paisagem foi fotografada no final do inverno, pois nunca se vê o céu azul assim no mês de dezembro.
*
O sol daquele tamanho... talvez uma montagem.
*
Anneli admirando uma igreja totalmente feita de gelo

Apesar do frio intenso que fazia naquela tarde (escuro às 15h00), o netinho quis apreciar a decoracão.


Outros netinhos que moram no norte vêem coisas mais típicas.

Nossa filha Martta e sua família aderiram ao costume finlandês de passar o Natal em uma cabana.


Toda a cabana é equipada com sauna.


Fomos convidados pela nossa colega anfitriã quando recentemente em missão em Rovaniemi, norte do país, a visitar a badalada cidade do Papai-Noel. Meu rosto mostra um pouco do meu desagrado-sem-querer-desagradar ao ser convidado para aparecer na tradicional foto com o "bom velhinho"...



E vão chegando os primeiros cartões de Natal... Na Finlândia, país de pouco mais de 5 milhões de habitantes, mais de 50 milhões de cartões de Natal são enviados a cada ano.

Aprecio os mais simples e com motivos antigos.

Artesanato escandinavo é conhecido no mundo. Esta norueguesa inovou: transformou cascas de nozes em manjedouras.

Uma idéia, quem sabe, para algum (a) leitor(a) com boa mão para trabalhos manuais.
*
Colocar-se luzes ou estrelas nas janelas é outra tradicão desta parte do mundo. As da foto são do apartamento de minha sogra, com fundo para uma bela igreja. Faz lembrar-me a história passada durante a guerra... Cada família que havia dado um filho para lutar e que morrera na guerra colocava na sua janela uma estrela. Caminhando com seu pai, um menino curioso ia contando as estrelas que via. Até que em dado momento, vendo uma estrela no céu entre o vão de dois prédios, exclamou: "Olhe, papai, Deus também deu um filho!" Uma bela e verdadeira ilustracão!

Gosto do carro de um vizinho, por isso o fotografei. Como o Natal, ele reúne estilos novos e antigos.

É um Chrysler fabricado em edicão limitada. Que bom que o amor de Deus, tão bem expresso no Natal, é ilimitado!! Não é uma relíquia ou uma raridade, mas é acessível a todos os homens!
*

O desenho da capa de uma de nossas publicacões do Canadá-Bermuda atesta isso: o Natal é uma festa multicultural. Para Deus não há raca ou cor, e todos os homens devem ser unidos pelo amor!

**********************************
Apreciando a beleza do Natal e com alto respeito pela sua história, a seguir dedico aos meus leitores, de minha autoria, uma paráfrase do Salmo 23 alusiva ao Natal, um poema dos dois que já escrevi, o dedicado ao Natal, e uma meditacão. Quero ao publicá-los relembrar o significado maior da festa magna da cristandade, um tanto distorcido nestes dias de consumismo, onde as pessoas vão às compras, às festas, aos restaurantes, encontrar parentes e amigos, mas não vão a Belém... Convido, portanto, aos leitores a seguirem em espírito os passos dos pastores:
"Vamos até Belém e vejamos os acontecimentos que o Senhor nos deu a conhecer!"(Lucas 2:15)
*
O SALMO 23 DO NATAL

O Papai Noel é a razão das comemoracões de muitos grandes e pequenos; o significado real do Natal lhes faltará.
Ele os faz repousar em um mundo ilusório de magia, cores e deslumbramento. Refrigera as suas almas, imaginando-os na neve, e guia-as por uma vereda totalmente irreal, em detrimento da verdade.
Ainda que o chamem de "o bom velhinho", ele é injusto ao presentear, dando presentes caros aos ricos e baratos aos pobres, quando os recebem, e a esses o seu grito e as suas renas não consolam.

Nas casas de famílias de classes alta e média uma farta mesa é preparada antes de sua chegada; nas dos pobres, nem mesa nem presentes, talvez um cálice de lágrimas infantis...

Tristeza e decepcão virão a muitas criancas quando descobrirem que ele é simplesmente uma mentirinha que lhes contaram.

Bondade e misericórdia certamente seguirão aos pais, ricos ou pobres, que por ocasião do Natal ressaltarem o seu verdadeiro significado à sua família: o nascimentode Jesus Cristo, o Salvador, o Presente que Deus deu à humanidade.

E suas casas serão para sempre a habitacão dAquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida.

****************

A Realidade

Caia a neve e cobria as ruas

E em cada canto havia luz a piscar;

Que esplêndida era a cena,

Como fantasia no ar!

Envolvido naquele sonho,

Da realidade me esqueci:

Longe há guerras, choro

E pobreza, mas não aqui...
*
Então um estranho sentimento se infiltrou,

Tentando minha mente convencer:

"Essa não é a nossa realidade, aqui...

Preocupar-me, então, para quê?"

Tarde demais, conclui;

Meus olhos já olharam ao redor:

Pessoas solitárias, bêbadas, em depressão,

Encontro em todos os lugares, em profusão...
*
O Natal encerra uma maravilhosa realidade:

Jesus Cristo nasceu para salvar a humanidade.

Nunca mais deste fato me esquecerei;

Por Tua Causa, Senhor, agirei e lutarei!

*****
The Reality

As the snow covered the street

And the lights shone everywhere, how splendid was the scene,

As a fantasy in the air!

Then, involved in that dream, I forgot reality:

Far away there's war and crying, people suffering, poverty...

Then a strange feeling came

Trying to convince my mind:

"This is not our reality, why worry? Put it aside!"

"It's too late", I realized,

For my eyes have looked around: lonely people, drunk, depressed,

In my neighborhood I found...
*
Christmas has a wonderful reality:
Jesus Christ was born to save humanity.

Never more will I forget this holy fact;

For your sake, Lord, I will fight and I will act.



Nota: Este poema, no original em inglês, escrevi para o Natal uma semana antes do dia 11.09.01,

quando as torres do World Trade Center desabaram. E o mundo nunca mais seria o mesmo...

***********

E extraído do meu livro, uma meditacão no mesmo tom da poesia


. . .

O Natal na Finlândia, país de minha esposa e onde vivemos há 9 Natais, também chamada "a terra do Papai Noel", é muito comemorado. É a festa das luzes, dos fogos e das velas, encontradas nas igrejas, nas janelas das casas, nas vitrines e até, pasmem, nos cemitérios! Há como que uma necessidade de iluminar a densa escuridão da época, só atenuada pelo branco profundo e cintilante da neve que como providência divina reluz na noite que parece interminável. Diga-se de passagem que no sul do país, onde vivemos, o dia amanhece em dezembro perto das 10h00 e às 15h00 já está praticamente noite, enquanto que no norte do país o sol dá uma "espiadinha" no horizonte por 15 minutos e o restante são longas horas de escuridão.

No primeiro ano em que moramos no país, à véspera do que eu considerava "o Natal mais típico", toda a paisagem à volta de nossa casa em volta de uma floresta era a tradicional dos cartões de boas-festas. Da janela eu podia ver os meus filhos fazendo bonecos de neve ou os vizinhos carregando nos seus trenós os pinheiros recém-cortados da floresta. Tudo ficou ainda mais típico quando a neve comecou a cair lentamente. Faltava só "vermos o Papai-Noel passando com o seu trenó puxado por renas e carregado de presentes." Quase sendo levado por toda aquela beleza ou, como se diz erroneamente, pela "magia do Natal", senti o Espírito Santo fazer-me voltar à realidade. Ele me mostrava a grande necessidade espiritual daquele lugar que o manto de neve parecia querer encobrir. Sua voz deu vida a um versículo bíblico encontrado em 1 João 2:8, que diz: "Para isto se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo". E assim me mostrou o significado bíblico do Natal, que nenhuma conexão parecia haver com tudo aquilo que me rodeava.
Quando me perguntam qual Natal considero o mais belo ou o mais típico, se o do inverno escandinavo ou o do verão brasileiro, não hesito em responder que é o de qualquer região do mundo se comemorado à luz do seu significado real: Jesus Se manifestou ao mundo no dia de Natal para destruir as obras do diabo - por mais inconveniente que pareca citar o maligno nesta época - e presenteá-lo com a Sua salvacão que, traduzindo, significa vida transformada para o homem, nova motivacão, novo ideal, um futuro feliz e uma vida eterna!


*********************

Para finalizar, ouca na voz de minha cantora preferida, a americana-norueguesa Evie, "Mary's Boychild", música jamaicana cuja letra traduzimos:

*
Aconteceu lá em Belém, é o que a Escritura diz:
De Maria, sim, nasceu, Jesus, o Filho de Deus.
*
Glória a Deus e aos homens paz! - não há louvor igual!
O céu a terra visitou durante aquele Natal!
*
Nenhum lugar o casal achou em Belém pra se hospedar.
Na fria gruta, entre animais, Seu espaco veio encontrar.
*
Na escura noite pastores vêem de uma estrela o fulgor,
Pairando sobre o local onde veio o Salvador.
*
A você que vive sem ideal, sem razão, sem fé, sem paz,
A esperanca já se foi, a morte é o encontro fatal...
*
As trombetas dão o sinal: - ouca, é celestial:
"Pra sempre o homem viverá por causa desse Natal!"
*
*
Dá lugar a Jesus Cristo, abre a porta desde já;
Se Lhe dás acolhimento, sempre em ti habitará!
*

Próxima e última postagem de Natal:

"Noite de Paz" ("Noite feliz") em 12 idiomas.

Veja o manuscrito da música de Natal mais bela e popular do mundo!

3 Comments:

  • Paulo...meu amigo virtual...muito emocionante e linda essa sua postagem...tenho certeza que foi feita com muito carinho e cuidado para todo nós seus ávidos leitores que aguardam anciosos suas postagens...obrigada por dedicar a nós seus leitores desse maravilhoso blog...esse esmero de palavras tão cheias de significados e de amor de Deus...o verdaeiro significado do natal...foi dito lindamente por você meu amigo...o foco é Jesus...que nunca esqueçamos disso.Mais uma vez agradeço por partilhar conosco as curiosidades desse país tão diferente e lindo ...amo cada coisa nova que descubro...Obrigada amigo!

    By Anonymous evelize, at sexta-feira, dezembro 12, 2008 9:57:00 PM  

  • Muito bonita esta postagem.
    Feliz Natal.
    Paulo Soares (Americana SP)

    By Anonymous Anônimo, at sexta-feira, dezembro 05, 2014 10:53:00 AM  

  • Belíssima postagem, amigo Paulo! O Natal é a minha época do ano favorita. Tudo tão mais bonito, tão "mágico"... Cheio de amor e bondade.
    Gosto muito das suas abordagens sempre observando desde as coisas mais simples. Isso é de um valor raro, sem igual. Mostra a sua sabedoria concernente a essência das coisas, o sentido da vida, as formas de bem vivê-la, enfim... Você é uma benção!
    Um grande e fraterno abraço do seu amigo baiano.

    By Blogger Anderson, at sexta-feira, dezembro 18, 2015 5:04:00 PM  

Postar um comentário

<< Home