Paulo Franke

08 julho, 2009

I - Pegadas ...na Areia/...na Índia/ Deborah Kerr

Ou simplesmente... PÉS!


Creme para pés que eu trouxe de Israel - tratamento do Mar Morto.

pppppppppppp


Muitos atletas têm sido exaltados, inclusive vimos um jogador brasileiro receber recentemente, na África do Sul, o troféu de ouro em forma de um pé. Nesta postagem exaltaremos outros pés...

Iniciemos, no entanto, relembrando o conhecido poema "Pegadas na Areia"...


"Uma noite eu tive um sonho...

Sonhei que estava andando na praia com o Senhor, e através do céu passavam cenas da minha vida. Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia: um era o meu e o outro era do Senhor.

Quanto a última cena da minha vida passou diante de nós olhei para trás, para as pegadas na areia, e notei que muitas vezes no caminho da minha vida havia apenas um par de pegadas na areia.

Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso entristeceu-me deveras e perguntei então ao Senhor:

'Senhor, tu me disseste que, uma vez que eu resolvi Te seguir, que andarias sempre comigo todo o caminho, mas notei que durante as maiores tribulações do meu viver havia na areia dos caminhos da vida apenas um par de pegadas. Não compreendo por que nas horas em que mais eu necessitava de Ti me deixaste.'

O Senhor me respondeu: 'Meu precioso filho. Eu te amo e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do teu sofrimento. Quando viste na areia apenas um par de pegadas, foi exatamente aí que Eu nos bracos... te carreguei.'"
.

Nota: A autora chama-se Margaret Fishback Powers e seu famoso poema tem sido gravado como música, pintado em vitrais e quadros e impresso em cartões e posters nos mais diversos idiomas. Erradamente, foi publicado como trabalho de autor anônimo, porém Margaret, através de seu livro "Amigos de Pegadas na Areia" (Friends of Footprints), conseguiu provar sua autoria.


Cartão do poema impresso em sueco.


________________________________________


Em 1882, o Exército de Salvação começou o seu trabalho entre os muçulmanos e os hindus da Índia. Passando toda a sorte de privações, os que para lá foram como missionários estavam resolvidos a abandonar suas idéias e hábitos ingleses. "Aleluia!" escreveu para casa um recém-chegado à Índia. "Não me deito numa cama desde que aqui cheguei; durmo no chão. Tenho os pés inchados e feridos com a primeira semana de trabalho, mas ver as fisionomias felizes dos convertidos compensa-me de tudo."

À moda da Índia, eles usavam vestes cor de açafrão, e andavam descalços ou de sandálias. Venceram pelo mais puro exemplo cristão. Um caso típico foi o de Elizabeth Geikie, uma bela moça de Dundee. Certa vez levaram à sua minúscula cabana um homem quase louco de dor. Inclinando-se para olhar de perto, Elizabeth viu que um enorme espinho se enterrara como um prego no seu, deixando visível só um pontinho preto. Ela não dispunha de nenhum instrumento cirúrgico, mas tinha dentes fortes. Ajoelhando-se, cravou os dentes no espinho e arrancou-o.

No dia seguinte, o homem e sua esposa tornaram-se salvacionistas. Nunca compreenderam bem os sermões de Elizabeth, mas compreendiam que, para curar uma ferida, uma mulher branca havia colocado os lábios, a parte mais sagrada do corpo, sobre o , a mais desprezada.

Nota - Outros feitos de Elizabeth e de outros missionários naquele país onde imperavam as castas, são encontrados no livro "Um General perto de Deus" (A General next to God), de Richard Collier, que Seleções do Reader's Digest publicou na seção de livros no ano de 1965, quando o Exército de Salvação completou seu centenário, de onde transcrevi o trecho acima.
Tendo tal herança, não é de se admirar que a obra salvacionista seja gigantesca naquele país e que possua 3.353 oficiais (pastores) e 281.154 soldados (leigos).
Ultimamente, salvacionistas indianos iniciaram a obra no Nepal, somando a 118 países onde opera o The Salvation Army.

______________________


A seguir, publico uma meditação do livro "Edificação Diária", de minha autoria, escrita por minha esposa, Anneli Hämäläinen Franke (17 das 365 meditações do livro foram escritas por ela).



Formosos pés

Dificilmente chegaríamos a uma pessoa elogiando os seus pés. Elogiamos, sim, mãozinhas e pezinhos perfeitos de uma criança recém-nascida ou mesmo pequenina. É comum elogiarmos, uma moça bonita, um rapaz simpático e assim por diante.

Há personagens bíblicos que foram notáveis por sua beleza, entre eles Ester e Absalão. Ester... era jovem de boa aparência e formosura (Ester 2:7). Não havia, porém, em todo o Israel homem tão celebrado por sua beleza quanto Absalão; da planta do ao alto da cabeça não havia nele defeito algum (2 Samuel 14:25).

A Palavra de Deus menciona os pés sobre os montes: Eis sobre os montes os pés do que anuncia boas novas, do que anuncia a paz! (Naum 1:15). Isaías 52:7 acrescenta-lhes formosura: Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, que anuncia cousas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!

Quantos pés formosos de missionários, através dos séculos, se dispuseram a ir com as boas novas a países distantes! Quantos pés formosos se dispõem a ir de casa em casa anunciando o Evangelho! Quantos pés formosos se dispõem a visitar enfermos, pobres e presidiários, por amor a Jesus!

O apóstolo Paulo, um exemplo vivo por ter andado por todo o mundo conhecido em sua época, exorta-nos: Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz (Efésios 6.15).

Um dos últimos acontecimentos da vida de Jesus, ocorrido antes de Sua crucificação, foi lavar os pés de Seus discípulos Ao andarmos entre os pecadores e em lugares contaminados pelo pecado, precisamos "lavar os pés" e "voltar aos montes" da comunhão com Deus para depois retornarmos a caminhada até onde for preciso com o evangelho da paz. (ahf)



A filha Deborah quer... e ganha de aniversário de seu filho um tenis, que me chamou a atencão pela data, 1972, ano em que conheci sua mãe e com quem tenho palmilhado a jornada da vida durante 36 anos, pregando juntos o evangelho da paz!


__________________________


Por que o nome da atriz Deborah Kerr aparece nesta postagem? Leia mais adiante.


O Exército de Salvação ao longo de muitas décadas tem sido focalizado pelo cinema, pelo teatro e pela literatura. A idéia de mostrar o Exército nos filmes é quase tão antiga quanto o cinema. Cartunistas satirizaram os métodos extravagantes de William Booth, o fundador, mas também escritores mais sérios abordaram o salvacionismo em suas obras.




Um deles foi George Bernard Shaw cuja obra, "Major Barbara", foi uma das tantas que se tornou famosa. A produção cinematográfica inglesa, de Gabriel Pascal, é de 1940, tendo nos papéis principais Rex Harrison e Wendy Hiller e sendo introduzida a novata Deborah Kerr. Para preparar-se melhor para o papel, Deborah pediu a Pascal que lhe arranjasse um meio de "unir-se ao Exército" como uma ajudante no centro de boa vontade (goodwill centre). E assim aconteceu. Deborah rapidamente foi aceita no centro, mas somente o administrador sabia acerca de sua identidade e ninguém mais do staff ou da clientela. A Eric Braun, que escreveu mais tarde sua biografia, Deborah contou: "O trabalho que os salvacionistas faziam aos pobres e destituídos, e que ainda fazem, é algo que você não pode imaginar, a menos que esteja envolvida nele, como eu estive." Deborah, uma das maiores atrizes de todos os tempos, recordou-se sempre de seu humilde começo no cinema, como uma salvacionista que dera a vida em favor dos desafortunados.




A obra de Shaw focaliza uma personagem fictícia que bem poderia ser real, Major Barbara...

Certa vez uma prostituta foi brutalmente assassinada nas ruas de Londres. Seu rosto ficou irreconhecível. Como ninguém sabia de quem se tratava o cadáver, alguém teve a idéia de chamar a Major Barbara para fazer o reconhecimento, uma vez que trabalhava entre prostitutas para pregar-lhes o amor de Deus. Barbara apressadamente chegou ao necrotério e foi mais uma que não conseguiu identificar de quem se tratava o irreconhecível cadáver. Então, teve uma idéia: "Mostre-me os pés dela!" E ao descobrirem os pés da prostituta, ela reconheceu de quem se tratavam, fornecendo-lhes o nome. "Mas como, pelos pés, houve o reconhecimento?", um dos peritos perguntou-lhe. Major Barbara tinha por hábito, em nome de Jesus, lavar os pés das prostitutas e por eles identificou a infeliz que morrera de uma forma tão brutal.


______________________________

Os pés na poesia...
.
Cristo, se meus pés erraram, desviando-se da luz; se o meu motivo é outro e não mais visar a cruz/ Não me negues Tua bênção, pois, eu sei, fui desleal, mas corrige as minhas falhas, extirpando todo o mal. (General Albert Orsborn, 1967)
.
Faze que meus pés, Senhor, bem ligeiros no labor, corram por amor de Ti, destros a servir-Te aqui. (Frances R. Havergal, 1879)
.
Somos de Deus os Pregoeiros da Fé. Nada nos faz arredar o ! (Coro do hino de nossa turma no Colégio de Cadetes (Seminário), 1964-1965)
.
Cristo Jesus, se além meus pés resvalarem e eu me dispuser a voltar atrás; se desertos e espinhos me fizerem lamentar, então, Senhor, mostra-me os pés. Teus pés sangrados, Teus pés rasgados pelos pregos - meu Deus, mostra-me os pés! (Um verso da poesia "Crucificado com Cristo")


Leitura bíblica recomendada:



Jesus lava os pés aos discípulos - João 13: 1-20



Livro recomendado:

"O Apóstolo dos Pés Sangrentos", a vida de Sadhu Sundar Singh, escrito por Boanerges Ribeiro, Editora CPAD (Casa Publicadora das Assembléias de Deus).



Biografia de um indiano de família nobre, da seita sik, que sofreu perseguições, prisões e privações por ter-se convertido ao evangelho. Aliciado com benesses que sempre recusou, ou pressionado a renunciar ao cristianismo, num ambiente hostil, manteve sua fé inabalável em Jesus. Abandonado pela família, pelos amigos, tornou-se evangelista intinerante. Atravessou o Himalaia inúmeras vezes, sob frio intenso, acossado por feras e salteadores, com o propósito de levar a Palavra a quem vivia na mais crassa ignorância das coisas de Deus. Pregou na Inglaterra e em diversos países da Europa e nos Estados Unidos da América. Sempre caminhava sozinho, descalço, a ponto de ferir os pés. Ele muito contribuiu para a evangelização da Índia e do Tibet. É uma obra indispensável pela eficácia de sua mensagem.
___________________________

L i n k s

Ela trabalhou entre prostitutas do Red Light em Amsterdam
.

.

O Exército de Salvação e o Cinema
.

.

________________


Próxima postagem





II - Pegadas... na Lua, há 40 anos! (NASA)

2 Comments:

  • Anonimo disse:

    Cara, parabens! O seu blog foi o melhor que eu ja vi na minha vida toda!

    By Blogger paulofranke, at quarta-feira, julho 22, 2009 8:22:00 PM  

  • Que bom adquirir conhecimento, Cultura e fé, mediante o exemplo de vidas abnegadas a Deus e ao serviço ao próximo, demonstrando altruísmo, desprendimento. Tudo muito inspirador...Que Deus nos ajude a sermos cristãos verdadeiros no mundo atual e deixarmos algo que venha através das nossas vidas mostrar que Cristo Vive em nós. Que Deus nos ajude pelo seu Santo Espírito e pelo seu filho nosso exemplo maior.

    By Blogger Eunice Mendonça, at sábado, outubro 29, 2016 4:19:00 PM  

Postar um comentário

<< Home