Paulo Franke

28 outubro, 2011

Judeus na Indústria Cinematográfica de Hollywood



Nos anos 80 conheci uma senhora idosa, judia, que morava em São Paulo. Fiz-lhe muitas visitas e ouvia seus relatos, inclusive de como sua família fora quase toda dizimada no Holocausto. Seu desejo era apresentar-me seu grande e inteligente amigo, o escritor Hugo Schlesinger, nascido na Polônia e que estudou na Cracóvia. Isso nunca aconteceu, mas presenteou-me seu livro "Meus Irmãos Famosos", da Editora B'Nai B'Rith, obra que fornece nomes de judeus famosos, do mundo inteiro, destacados por algum feito extraordinário.

Meus amigos cinéfilos foram lembrados quando, ao reler o livro, passei pelas histórias dos mais famosos judeus ligados à indústria cinematográfica de Hollywood. Os textos - não as fotos - são, portanto, extraídos do livro, enquanto que as fotos obtidas através do Google.

*****************

Os judeus, tendo encontrado no filme uma nova e importante expressão artística, tornaram-se pioneiros e técnicos deste novo e importante meio de comunicação.
Nos Estados Unidos a indústria cinematográfica desenvolveu-se como a terceira potência industrial do país, e Hollywood tornou-se, através de seus magnatas judeus, o símbolo de uma nova arte, que atingiu o seu ponto alto depois de 1933, com a ajuda dos talentos refugiados do nazismo.



Samuel Goldwyn

Tornou-se verdadeiro sinônimo de Hollywood. Nascido em Varsóvia em 1882, de uma família cujo verdadeiro nome era Goldfish, fugiu de casa aos 11 anos e foi para a Inglaterra, onde trabalhou em uma ferraria. Após dois anos de permanência no país, emigrou para os Estados Unidos, onde estudava inglês à noite e trabalhava numa fábrica de luvas durante o dia. Onze anos mais tarde, quando já era acionista da fábrica, descobriu sua verdadeira vocação na indústria cinematográfica que começava a nascer. Em 1925, Goldwyn tornou-se independente e fundou sua própria companhia, a Samuel Goldwyn Inc. Em 1926 foi eleito para o conselho administrativo da United Artists, fundada por Charles Chaplin, Mary Pickford e Douglas Fairbanks.



Louis B. Mayer


Nasceu na Rússia em 1885, em uma família de judeus pobres. Faleceu em 1957, mais do que bilionário. Fez a carreira típica dos primeiros potentados do cinema norte-americano, criadores de Hollywood. Em 1924, era o chefe da produção da Metro-Goldwyn-Mayer, resultante da fusão da Metro com a sua companhia e com a de Samuel Goldwyn. Foi ele quem introduziu em Hollywood a técnica de contratar grandes artistas no exterior, começando por Greta Garbo.



Jack Leonard Warner

O fundador da Warner Brothers. Nasceu em 1892, no Canadá, e foi com sua família para os Estados Unidos. Junto com seus irmãos reuniu um capital de 150 dólares e montou seu primeiro cinema, o "Bijou", no qual trabalhava com toda a família. Logo depois abriram outro cinema e começaram a entrar no negócio de distribuição de filmes. Durante a Primeira Guerra Mundial, a Warner Features produziu filmes de propaganda que lhe deram segurança econômica e permitiram a inauguração de seus estúdios em Hollywood. O primeiro presidente da empresa foi Harry M. Warner. Eram vice-presidentes seus irmãos Albert, Samuel e Jack. Dos quatro, o único sobrevivente, Jack, vendeu as ações da companhia em 1966.




David O. Selznik


Produtor de filmes, nasceu em 1902 e morreu em 1965. Foi o primeiro a levar Katherine Hepburn para o cinema. Transformou em estrelas Vivien Leigh em "E o vento levou", Ingrid Bergman, em "Intermezzo" e Joan Fontaine, em "Rebeca". Selznick foi talvez o mais famoso e bem sucedido produtor de toda a fase de consolidação do cinema norte-americano.



Do Google: Selznick casou-se com Irene Gladys Mayer, filha de Louis B. Mayer, em 1930. Divorciaram-se em 1948 e têm dois filhos, Daniel e Jeffrey Selznick. Em 1949, casou-se com a atriz Jennifer Jones e tiveram uma filha, Mary Jennifer Selznick (1954-1976), que cometeu suicídio saltando da janela do vigésimo andar em Los Angeles, em 1976. Jennifer casou-se novamente; morreu em 2009, com 90 anos.


****************


Nomes verdadeiros de artistas judeus:


Woody Allen: Alan Stewart Koenigsberg


June Allyson: Ella Geisman


Lauren Bacall: Betty Joan Perske


Irving Berlin: Israel Baline


Karen Black: Karen Blanche Ziegler


Fanny Brice: Fanny Borach


Mel Brooks: Melvin Kaminsky


George Burns: Nathan Birnbaum


Eddie Cantor: Edward Israel Iskowitz


Lee J. Cobb: Jacob Amos


Tony Curtis: Bernard Schwartz


Kirk Douglas: Issur Danielovich Demsky


Melvyn Douglas: Melvyn Hesselberg


Paulette Goddard: Marion Levy


Elliot Gould: Elliot Goldstein


Al Jolson: Asa Yoelson


Danny Kaye: David Daniel Kaminsky


Jerry Lewis: Joseph Levitch


Peter Lorre: Laszlo Lowenstein


Yves Montand: Ivo Levy


Joan Rivers: Joan Molinsky


Edward G. Robinson: Emmanuel Goldenberg


Jane Seymour: Joyce Penelope Frankenburg


Simone Signoret: Simone-Henriette Kaminker


Bevery Sills: Belle Silverman


John Garfield: Jules Gurfinkle


Paul Muni: Muni Weisenfreund


Gene Wilder: Gerald Silberman


Theda Bara: Theodesia Goodman


Sylvia Sidney: Sophia Kosow


Judy Holliday: Judith Tuvim


Shelley Winters: Shirley Schrift


Nota: Procure no Google.com outras informações sobre diretores e artistas judeus.


*************************


Em 1982, em viagem à Austrália, marquei no meu itinerário passar por Los Angeles e, por conseguinte, Hollywood, ultra frequentador de cinema que fui nos anos 50. A foto mostra o momento quando meu amigo que lá morava levou-me ao estúdio da MGM. Já tenho abordado o tema neste blog, mas agora publico a "listinha" de endereços dos estúdios aos quais escrevia para solicitar de artistas suas fotografias, passatempo dos jovens dos anos dourados.



De Ann Blyth foi a primeira foto que recebi ao escrever para o estúdio da MGM, em Culver City. E na semana passada assisti ao filme "O Príncipe Estudante", em que contracena com Edmund Purdom (foto abaixo). Fato interessante foi o de o ter asssistido novamente, agora em DVD, ao lado de minha neta mais velha, de 13 anos, que curtiu junto com o avô a opereta que lhe embalara o coração nos anos 50.



De Gloria de Haven, também da MGM, recebi a primeira foto com autógrafo personalizado, bem por isso mais especial. E por coincidência, também na semana passada, assisti ao filme abaixo, em que trabalha junto a Judy Garland e Gene Kelly no canal TCM.




*******************

Abrindo uma revista salvacionista, deparei com uma reportagem do Corpo de Burbank, Califórnia, em marcha pelas ruas da cidade. O nome Burbank ficou remoendo na mente, soando familiar... Na listinha dos endereços dos estúdios, que guardo até hoje, fui conferir: Burbank é a cidade onde está situado o estúdio da Warner Brothers!!


________________________


Próxima postagem:

mais uma da série

"Sob a sombra sinistra do nazismo"


________________________

6 Comments:

  • Gostei do blog, Paulo. Esse post sobre judeus famosos é muito bom.
    Cumprimentos cinéfilos

    O Falcão Maltês

    By Blogger ANTONIO NAHUD JÚNIOR, at segunda-feira, outubro 31, 2011 3:50:00 PM  

  • Olá amigo, nossa como é bom lembrar grande atores como estes! Não esqueço os grandes musicais e, não posso esconder que tb sou cinéfila! Sinto saudades até do preto e branco....pode isso? :o)
    Muito bom saber o nome dos meus atores favoritos tal como Lauren Bacall...maravilhosa!!!
    Adorei e mais uma vez parabéns, estou sempre aprendendo mais e mais no seu blog. Grande filme esse " O Falcão Maltês....nossa!!!!
    Grande aBraço!

    By Blogger Maria Thereza, at terça-feira, novembro 01, 2011 9:43:00 PM  

  • Olá Paulo Franke:
    Fiquei realmente emocionada com esse blog! Não sou judia, mas tenho um respeito imenso pelos judeus! Assisti muitos filmes sobre o holocausto, e também li alguns livros, por exemplo: Inferno em Sobibor e Arquipélago Gulag (com relatos "reais" sobre as torturas nazistas durante a segunda guerra e etc..) Obrigada pela riqueza de detalhes, nas informações acerca dos nomes de alguns atores que são naturalmente judeus, enquanto muito de nós os conhecemos por seus nomes artísticos!
    Obrigada por essa "linda" postagem! Adorei.., muito mesmo!
    Parabéns!!
    Abraços,
    Lu Janis (Facebook)

    By Blogger Mª de Lourdes, at terça-feira, junho 11, 2013 8:48:00 AM  

  • Olá Paulo,

    Sempre acompanho seu blog pois me proporciona uma viagem fantástica através das suas. Quanta história bonita e quantas informações valiosas e interessantes. Que bom ouvir falar deste musical maravilhoso, do nome real dos nossos astros queridos. Me emociona muito suas referências sobre sua família, isto é tão lindo e raro nos dias de hoje.. É um prazer grande lhe acompanhar... Obrigada!

    By Blogger Marlene M, at terça-feira, junho 11, 2013 8:54:00 PM  

  • We all know that Hollywood, as the movie capital of the world, was created by Jews. The classic work on its history by Neil Gabler is aptly called “An Empire of Their Own: How the Jews Invented Hollywood.” The list of the first movie moguls reads like a roll of synagogue presidents: Adolph Zukor, founder of Paramount; Carl Laemmle, founder of Universal; Jack and Samuel Warner, founders of Warner Bros.; Louis B. Mayer, founder of MGM; William Fox, head of 20th Century-Fox; and Harry Cohn, who ran Columbia Pictures. From 1908, when Walter Selig moved his company to California, with the ex­ception of Darryl E Zanuck's 20th Century-Fox ("the Goy Studio"), Jewish creative artists and businessmen guided the destiny of America's largest propaganda machine. (Aish.com)

    By Blogger paulofranke, at terça-feira, julho 02, 2013 6:27:00 PM  

  • Excelente documentário!! "Cineastas em Exílio;Do Terceiro Reich a Hollywood"
    Quando Adolf Hitler tornou-se o chanceler da Alemanha, em 1933, uma de suas primeiras ações foi banir os judeus dos trabalhos na histórica indústria do cinema alemão, tido com um dos mais criativos cinemas do mundo. Homens e mulheres que criaram referências na história cinematográfica deixaram sua terra natal nos meses e anos que se seguiram. Muitos deles foram para Hollywood. 'Cinema's exiles: from Hitler to Hollywood' mostra a experiência dos exilados que se refugiaram e Hollywood e seu imapcto, tanto no cinema alemão, quanto no norte-americano.
    Mais de 800 profissionais da área saíram da Alemanha no período de 1933 a 1939,como os diretores : Fritz Lang,Henry Koster e Billy Wilder;os atores Felix Bressart,Hedy Lamarr,Peter Lorre;e os compositores Hans Salter,Frederik Hollander e Franz Waxman.Nem todos alcançaram sucesso em Hollywood,alguns voltaram para a Alemanha depois da guerra,mas a maioria se integraram na cultura americana,introduzindo pontos da cultura alemã nos seus trabalhos.

    By Blogger paulofranke, at quarta-feira, outubro 01, 2014 8:28:00 PM  

Postar um comentário

<< Home