Paulo Franke

09 março, 2011

Dia da Mulher - JONI Eareckson Tada


foto: Google
Joni, presa à cadeira de rodas há mais de 40 anos, agora enfrenta o drama do câncer com confiança: “Soberania de Deus”.

Bênçãos no sofrimento

Joni Eareckson Tada diz que o cristão precisa entender o propósito de Deus nas dificuldades.

Por Sarah Pulliam Bailey

Joni Eareckson Tada ficou mundialmente conhecida nos anos 1970 como ativista em luta permanente pelos direitos e pela qualidade de vida das pessoas portadoras de deficiência física. À frente do ministério Joni e Amigos, surgido após drama pessoal – na adolescência, um mergulho imprudente em águas rasas deixou-a tetraplégica –, ela percorre o mundo em sua cadeira de rodas, oferecendo esperança e muito mais a gente que, como ela, tem de atravessar a vida sofrendo com sérias limitações. Até hoje, sua instituição já distribuiu mais de 50 mil cadeiras de rodas, além de aparelhos ortopédicos, próteses e todo tipo de auxílio a deficientes físicos, sobretudo nos países mais pobres. Além, é claro, da palavra de esperança e salvação do Evangelho, mensagem de que Joni nunca abriu mão de anunciar.

Autora do livro testemunhal Joni, uma história inesquecível, sucesso em todo o mundo, ela tem sido vista como exemplo de superação e fé. Só que agora um novo drama se abateu sobre a vida dessa frágil mulher de 60 anos: o diagnóstico recente de um câncer de mama. A doença veio se somar a uma dor crônica que a vem atormentando há uns dez anos. Parecendo otimista e confiante após uma cirurgia oncológica, ela rejeita comparações com Jó, ícone do sofrimento na Bíblia, mas admite que, por vezes, não sabe o que pensar acerca de um Deus que, conforme a crença evangélica, tem poder para curar todas as enfermidades do corpo e da alma. “Qualquer cristão luta para entender o propósito de Deus na dificuldade”, diz. “Lembro sempre da passagem de I Pedro 2.21: ‘Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.’”

Joni falou com CRISTIANISMO HOJE sobre seu livro mais recente, A place of healing: Wrestling with the mysteries of suffering, pain and God´s sovereignty (ainda inédito em português, a tradução literal do título é “Um lugar de cura: Lutando com os mistérios do sofrimento, da dor e da soberania de Deus”), da editora David C. Cook. Longe de ser um memorial de lamúrias, a obra descreve sua teologia do sofrimento.

CRISTIANISMO HOJE – O quanto sua perspectiva sobre sofrimento e cura mudou desde o diagnóstico do câncer?

JONI TADA – Felizmente, não mudou de forma alguma. Diante de situações assim, você examina a Escritura novamente e segue todas as passagens referentes à cura. Fiz isso com a minha quadriplegia, há mais de 40 anos, e de novo dez anos atrás, quando passei a experimentar uma dor crônica. Há um mês, ao receber o diagnóstico de câncer de mama, olhei para esses mesmos textos da Escritura, e as palavras de Deus não mudam. Embora a impressão seja a de que muita coisa tenha sido acumulada, continuo pensando em I Pedro 2.21: “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.” Esses passos, na maioria das vezes, conduzem os cristãos não a intervenções miraculosas ou divinas, e sim, diretamente à comunhão do sofrimento. É um bom princípio básico para qualquer cristão que luta para entender o propósito de Deus na dificuldade.

E a relação com Deus, como fica?


De certo modo, tenho sido atraída para mais perto do Salvador. Há coisas sobre o seu caráter que eu não via. Isso me diz que ainda estou mudando, crescendo, sendo transformada, e me tornando mais como ele. Jesus disse que quem tivesse fé nele, faria coisas ainda maiores do que as que ele fez. Somos inclinados a pensar que Jesus estava falando sobre milagres – mas, não necessariamente. Ele estava oferecendo o Evangelho; estava fazendo avançar o seu Reino; estava reivindicando a terra como sua, por direito. Então, quando fez essa promessa, o Salvador deu a todo crente a capacidade de também fazer isso. É isso o que tenho visto no último mês. É incrível a quantidade de pessoas sedentas por Cristo que tenho encontrado, desde médicos a enfermeiros, e todo o pessoal técnico dos centros médicos onde sou tratada. Eu sei que isso era verdade antes, mas parece haver algo especial acompanhando esse diagnóstico. A todos, tenho falado de confiança no amor de Deus por nós.

Impossível deixar de fazer a pergunta clássica. Na sua opinião, como um Deus bom permite que as pessoas, mesmo as que creem nele de todo coração, sofram tanto?

Quem faz essa pergunta – e eu mesma luto com ela – não está aceitando o fato de que este mundo está comprometido. Vivemos em um mundo caído. Quando não experimentamos o sofrimento, isso é uma exceção. O princípio básico é o de que experimentaremos muito sofrimento, porque vivemos em um mundo que geme sob o peso de uma pesada maldição. Se ser bom, para Deus, significa dar cabo do pecado, então ele teria de dar cabo dos pecadores. Mas o Senhor é um Deus de grande generosidade e enorme misericórdia, de modo que permite o curso do sofrimento. Ele não o detém até que haja mais tempo para amealhar mais pessoas para o aprisco da comunhão de Cristo.

Existem sofrimentos que vêm por causas naturais e outros que são provocados pela ação humana, ou seja, entre as diferentes causas da dor, em muitas delas a vítima nada podia fazer para evitá-las. Que tipo de sofrimento é mais fácil de aceitar?
Sofrimento é dificuldade e pesar. É tudo um pacote só. Sim, Deus poderia evitar o sofrimento. Pode, por exemplo, impedir que um assaltante atire contra a vítima ou evitar o surgimento de um tumor. Se ele escolhe permitir que essas coisas ocorram, isso não quer dizer que seja menos cuidadoso ou compassivo. Sua vontade, seu propósito e seu plano soberano podem ser um pouco mais obscuros e enigmáticos deste lado da eternidade. Quer a dificuldade seja resultado de negligência de quem a enfrenta ou fruto da ação direta de uma outra pessoa, ou, ainda, de uma catástrofe natural, é preciso lembrar que todas essas coisas estão ao alcance da soberania divina. Um olhar mais atento sobre o Novo Testamento mostra que a soberania de Deus se estende sobre todas as coisas – e ele permite todos os tipos de coisas, mesmo aquelas que não aprova. Ele não aprova, por exemplo, minha lesão medular ou o meu câncer, mas em sua soberania ele os permitiu. Não me importo se o termo usado for “deixar”, “permitir” ou “ordenar”. É tudo a mesma coisa. No final das contas, tudo se resume ao fato de que Deus está no controle. Não penso que haja uma diferença prática.

Usado com permissão de CristianismoHoje (link abaixo)








Joni, em visita à África, avista-se com crianças portadoras de paralisia cerebral. Foto Google


Publicado em O BRADO DE GUERRA, contra todo o mal - junho, 1999.


___________________________________________________

L i n k s

CristianismoHoje

http://www.cristianismohoje.com.br/interna.php?id_conteudo=718&subcanal=36

_________________________________

Procure saber mais a respeito de Joni Eareckson Tada ...

- assistindo ao filme sobre sua vida

- ouvindo suas cancões

- apreciando seus quadros

- vendo-a junto ao seu marido

- escutando suas pregacões e testemunhos

... ao acessar o google.com ou youtube.com

Adquira os livros em português sobre sua vida em livrarias evangélicas.

_______________________________________________

9 Comments:

  • Verdadeiro, edificante e emocionante... obrigado!

    Abraco,
    Gloria Måsabacka

    By Blogger paulofranke, at quarta-feira, março 09, 2011 2:58:00 PM  

  • Paulo, estive com Joni na National Religious Broadcasters Convention, em Nashville, na semana passada. Ela continua com aquela dignidade
    ímpar naquela cadeira de rodas.

    Marli Spieker
    Project Hanna

    By Blogger paulofranke, at quinta-feira, março 10, 2011 1:04:00 PM  

  • AMO ESSAS HISTÒRIAS REAIS DE PESSOAS REAIS ME CAUSAM GRANDE TEMOR, E GRANDE FORÇA PARA CONTINUAR UM POUCO MAIS.EU SINCERAMENTE QUERO E PRECISO VIVER O SOBRENATURAL DE DEUS. UM GRANDE ABRAÇO.

    Andrea

    By Blogger paulofranke, at quinta-feira, março 10, 2011 6:27:00 PM  

  • É... a única explicação para Deus permitir o sofrimento dos que O seguem, tal como o que tem ocorrido na vida da Joni e de tantos outros é o versículo 29 do capítulo 29 do livro de Deuteronomio que o Cel Eliasen no tempo do Colegio de Cadetes nos disse que nunca esquecessemos e procurássemos decorar. Eu nunca esqueci que "as coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas pertencem a nós e a nossos filhos para sempre".

    By Anonymous Neiva, at terça-feira, março 15, 2011 10:08:00 PM  

  • Eu li 3 livros da Joni, porém "Um Passo Mais" tornou-se meu livro de cabeceira por muito tempo!
    Ela realmente é ungida do Senhor e passa a mensagem para a qual o Senhor a trouxe para este mundo.

    Linda Ganz

    By Blogger lindaganz, at domingo, abril 03, 2011 3:33:00 AM  

  • Eu li um de seus livros. e simplismente me apaixonei pela história.Deus falou muito comigo atravez desse livro. que Deus continue te abençoando Joni te amo muito, muito,muito vc é uma escolhida de Deus! Washington

    By Blogger Deus é fiel, at sexta-feira, setembro 30, 2011 8:53:00 PM  

  • EU LI A HISTORIA DA JONI. DEUS FALOU MUITO NO MEU CORAÇÃO! AMO MUITO VC JONI. OBRIGADO POR DEIXAR DEUS TE USAR. FICA NA PAZ!!!

    By Blogger Deus é fiel, at sexta-feira, setembro 30, 2011 8:55:00 PM  

  • Verdadeiramente todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

    By Anonymous marcos, at quinta-feira, outubro 31, 2013 7:47:00 AM  

  • historia linda de gente de verdade deus realmente se mostra a cada dia como o mesmo ontem hoje e eternamente,obrigado senhor pela oportunidade de conhecer mais do seu amor....simplesmente edificante.


    By Anonymous adilza avelino, at segunda-feira, outubro 20, 2014 5:59:00 PM  

Postar um comentário

<< Home