Paulo Franke

03 julho, 2010

Dormindo para esquecer a derrota? - Taças


A foto deste bebê segurando uma taça pode sugerir-nos tanto "sonhando com a vitória" como "dormindo para esquecer a derrota". No caso de muitos brasileiros, cuja paixão é o futebol, a segunda é a acertada, infelizmente, diante da derrota da Seleção ontem nas quartas de finais contra a Holanda.

Copa, taça, cálice, são sinônimos (no idioma inglês cup). De diversos tamanhos ou formatos, a taça, no seu sentido mais prático, é utilizada para sorver líquidos. Quando David escreveu "... o meu cálice transborda" (Salmo 23:5), lembrou-se certamente da pedra em forma de pia onde os pastores derramavam água para as suas ovelhas beberem, impossibilitadas de alcançarem a água da cisterna ou pela ausência de água nas cercanias de Belém, onde começa o deserto.

Copas, taças ou cálices têm também um sentido figurado muito usado na Bíblia. O Antigo Testamento refere-se à porção terrena do homem como "cálice da amargura". Jesus usou a palavra no mesmo sentido quando orou: "Pai, se possível passa de mim este cálice! Todavia não seja como eu quero e, sim, como Tu queres" (Mateus 26:39). Sabendo do tipo de morte que O aguardava, fizera antes uma pergunta aos discípulos: "Podeis vós beber o cálice que eu estou a beber?" (Mateus 20:22). Mencionando esses trechos bíblicos, posso imaginar que muitos leitores os associarão aos seus sentimentos nestes dias após a derrota do Brasil: a copa da amargura.

Deus, acredito, "torce" não para que um determinado time vença, mas "torce" para que o ser humano se volte para Ele e prove durante a sua vida não alegrias passageiras ou sofrimentos prolongados devido à sua natureza pecaminosa. "Torce", sim, para que Seu Filho Jesus Cristo seja colocado no pedestal do coração humano.

A um grupo sequioso que O ouvia, Jesus falou: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva" (João 7:37-38). E à mulher samaritana declarou: "Aquele que beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede, pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna" (João 4:14).

Diante de tais promessas de um dessedentar da alma, abundante e contínuo, o que são as alegrias e vitórias efêmeras de competições esportivas? A exemplo do salmista, que se confessava cercado por laços de morte, em angústias, com lágrimas nos olhos, prostrado e aflito, possam as pessoas tomar a mesma atitude que tomou ao declarar: "Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor" (Salmo 116:13).

Essa salvação de nossos pecados - que vem do sofrimento e morte, de cruz, de nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Campeão por execelência - jamais poderá ser comparada às competições fugazes da vida, mesmo a uma celebração de vitória na Copa do Mundo!

Consciente dessa acessível vitória pela fé, não se afunde entristecido no sono da derrota do Brasil na Copa do Mundo 2010, mas:

"Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos e Cristo te iluminará!" (Efésios 5:14)



Tirei esta foto na estação ferroviária de Zurich, em 2008, por ocasião do Euro2008. Jogadores gigantes, mas infláveis... muitos os endeusam para descobrirem na hora da derrota, por suas falhas, que são humanos e que desapontam, perdendo toda a sua grandeza e a confiança dos que neles tanto esperavam! Hoje a Seleção volta para casa "desinflada", murcha... Como profissionais e seres humanos, porém, devem ser respeitados e não humilhados, vaiados ou alvo de críticas ácidas ou brincadeiras ferinas por não terem correspondido ao altíssimo padrão desportista que deles se esperava.

"Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Porque será como o arbusto solitário no deserto, e não verá quando vier o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.

Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor. Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se perturba nem deixa de dar fruto."


(Jeremias 17:5-8)



Qual a comparação que se aplica ao leitor?



Venha depressa para o lado vencedor!




___________________________________________

Próxima postagem:

- 1. Meus selos (Copas do Mundo)

Veja selos comemorativos da Copa de 50 no Rio de Janeiro, de 1958 em Estocolmo etc.

3 Comments:

  • Muito boa e cheia de sentido sua postagem sobre a Taça ! Parabéns mais uma vez. Você tem mesmo o dom de fazer paralelos interessantes com objetos e situações ou citações que à primeira vista não dizem grandes coisas. Você sabe extrair a essência como um perfumista faz para criar um perfume usando substâncias comuns.
    "anônima"

    By Anonymous Anônimo, at domingo, julho 04, 2010 5:50:00 PM  

  • Realmente como podemos julgar? Me parece que nestas questões em que o homem se acha maior, ele mostra na verdade o quanto se afasta do amor que Nosso Senhor Jesus Cristo tanto ensinou. Sinto ver minha seleção patriota perder, sinto ver um povo que , esquece seus reais problemas, para torcer e depois humilhar um profissional que tentou! Seria tão mais fácil nada fazer!
    Parabéns amigo, espero que os homens vejam por outro lado essa mágoa da derrota e que percebam a grandeza de ser sempre um campeão em Cristo!
    Grande aBRaço e muito obrigada!

    By Blogger Maria Thereza, at segunda-feira, julho 05, 2010 4:45:00 PM  

  • Paulo,]
    Muito bacana a forma como você associa seus textos, através de seu dom da palavra, a pura realidade das coisas quando esquecemos de Deus e enaltecemos o "homem". Alem do que suas postagens são sempre recheadas de muita cultura e curiosidade.

    Um grande abraço,
    Ana.

    By Anonymous Anônimo, at terça-feira, julho 06, 2010 12:53:00 PM  

Postar um comentário

<< Home