Paulo Franke

16 janeiro, 2012

MEMBROS DE BANDA DE METAIS MORREM EM NAUFRÁGIO


Com o naufrágio do navio de cruzeiros Costa Concordia na costa italiana - neste ano do centenário do naufrágio do Titanic - meus pensamentos retrocederam no tempo ao lembrar ainda outra dramática tragédia maritima com lances de heroismo. Refiro-me ao naufrágio do Empress of Ireland, que afundou no rio São Lourenço, no Canadá, em 29 de maio de 1914.


+ + + + + + + +



O livro "Till we meet again" (Até que nos encontremos novamente), da autoria de Herbert P.Wood e que me foi presenteado pelo Coronel David Gruer quando era o líder no Brasil, narra a história dos 143 salvacionistas que perderam a vida, parte de uma delegação que se dirigia ao Congresso Internacional do Exército de Salvação em Londres, onde foi iniciada a obra em 1865.



A Banda do Estado-Maior do Canadá (Canadian Staff Band) perdeu a grande maioria de seus membros - à esquerda, marcados com um pequeno x, os três únicos músicos que sobreviveram.



O cortejo do funeral em seu caminho ao Mount Pleasant Cemetery.



Um postal assinado com a última assinatura dos músicos que tinham seus nomes já inscritos no rol dos salvos no livro da vida.


O NAUFRÁGIO DO "EMPRESS OF IRELAND"

The sinking of the Empress of Ireland

Uma narrativa poética da tragédia


É meia-noite.

Envoltos em neblina, grandes navios, quais espectros,

Navegam lentamente pelo escuro e sinistro rio São Lourenço.

Emitindo insistentes sinais, as sentinelas andam impacientemente,

Pelas pontes e conveses, sem jamais suspeitarem do perigo iminente.

Imponente e misterioso, adentra-se pela escuridão o bravio transatlântico.

Em suas cabines, dois mil passageiros dormem tranquilamente,

Iluminados por muitos sonhos.

O orgulho do Exército de Salvação canadense viaja naquele navio:

Músicos que, com sua banda, têm cativado os corações de seus ouvintes,

E outros salvacionistas fiéis e dedicados ao Senhor.

Sonham com o congresso na velha Inglaterra, berço do Exército.

Grandes foram os sacrifícios feitos para empreenderem a longa viagem.

Grande é a expectativa de unirem-se a outros salvacionistas,

Delegados do mundo inteiro no abençoado e colorido evento.

E então, na noite densa, ouve-se o estrondo da tremenda colisão

De seu navio com uma grande embarcação carregada de carvão.

Os que dormiam interrompem bruscamente seus sonhos,

Admirados e assustados demais para visualizarem seu destino.

Alastra-se o pânico. Inclina-se o transatlântico ferido até a morte.

Tão nobre embarcação movendo-se como um bêbado,

Emitindo estranho som como seu último fôlego de vida.

No entanto, coragem e dignidade brilham através do terror;

As últimas saudações são trocadas, mensagens calorosas são dadas

E, fortes, enfrentam a morte de frente.

Ao redor, cenas comoventes têm lugar: famílias de mãos dadas, olham a água

E logo olham-se mutuamente, cientes do que lhes aguarda.

Jovens salvacionistas com toda uma vida pela frente

E para os quais o céu era uma remota inspiração.


E numa demonstração de amor cristão, profundo e prático,

Entregam seus salva-vidas àqueles que não os possuem.


Na velha Inglaterra começa o grande congresso que atrai multidões,

Mas, no grande prédio, os lugares reservados à banda canadense estão vazios,

Com uma mensagem eloquente de coragem e fé dos que não chegarão...

No ambiente parecem reinar a tristeza e o desalento,

No entanto, apesar de olhos marejados de lágrimas,

A fé reune-se rapidamente e toma as suas armas.

Com o desenrolar da reunião, vem do alto a certeza

Da sabedoria e amor do Grande Deus,

De Seus caminhos e pensamentos que não são os nossos.

E enquanto o forte rio São Lourenço continua seu curso,

Levando grandes embarcações para o oceano,

Transcorrem as reuniões no além-mar,

Animados pela certeza gloriosa

De que a eterna submissão ainda deve ser o nosso credo

E que, um dia, estaremos todos nós, os salvos,

No Grande Congresso Celestial,

Liderados eternamente pelo General Supremo,

Nosso Salvador Jesus Cristo.

(tradução livre do poema do Major Herbert Wood - 1951)

+ + + + + + +

SOS significa Save Our Souls (Salve nossas Almas)

Combate... o bom combate, mantendo a fé e boa consciência, porquanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé. (1 Timóteo 1:18-19)

A antiga exortação do apóstolo Paulo a Timóteo, que compara os que abandonam o caminho de Deus a "náufragos da fé", é de grande atualidade ainda nos nossos dias.



Quando fui responsável pelo início e continuação do programa radiofônico "O Louvor da Salvação", nos anos 90, preparei um programa dedicado à narração de três tragédias maritimas ligadas à música evangélica e salvacionista. Por ocasião do centenário do naufrágio do Titanic, em abril de 2012, o leitor poderá ouvir o programa através do youTube.



O Exército de Salvação desde os seus primórdios utilizou brass-bands para o seu louvor e para atrair pessoas às suas reuniões ao ar livre. Na foto-raridade, Einstein posa junto à banda de Los Angeles, foto provavelmente da data em que foi para os Estados Unidos fugindo do nazismo.


Na foto, a Staff Band de Melbourne, Austrália.

______________

L i n k s

Comemoração dos 120 anos, em 2011, da Banda do Estado-Maior da Inglaterra. No youTube, staff-bands do Canadá, Austrália, Japão etc. unem-se a ela no grandioso evento, que incluiu tocarem juntas no Palácio de Buckingham, em Londres. Clique abaixo:

O Exército de Salvação e o Titanic:

http://paulofranke.blogspot.com/2009/05/o-exercito-de-salvacao-e-o-titanic.html

E a banda do Lar de Meninos da Coréia foi forçada a marchar ... e nunca mais se ouviu falar dela. Mas aquela banda renasceu:

http://paulofranke.blogspot.com/2008/05/o-renascer-de-uma-banda-de-metais.html

"A ver navios?" Não, os navios que eu vi!


+++++++++++++

8 Comments:

  • Linda e comovente a narrativa poética da tragédia!Parabéns ao autor Mj.Herbert Wood.
    Entregam seus salva-vidas àqueles que não os possuem. Que certeza tinham de que iríam para os braços do Senhor. Não houve medo nem receio, entregar-se à morte por amor aos seus companheiros de viagem!
    Nos faz lembrar ALGUÉM que fêz isso por nós?
    A diversidade dos seus contos, me encanta!
    Parabéns pela postagem

    By Blogger Yara, at segunda-feira, janeiro 16, 2012 5:47:00 PM  

  • Franke,
    Maravilhosa e emocionante narrativa dos acontecimentos em seu blog!
    Para mim que não esqueço jamais o nosso abençoado Exército de Salvação que muita lembranças me traz, que muito me ensinou e disciplinou, não é fácil de segurar as lágrimas ao ver tão forte dedicação de quem foi SALVO PARA SERVIR E SERVIR ATÉ À MORTE.
    Parabéns pela sua homenagem a esses salvacionistas e por que não dizer, heróis da fé.
    Abraços

    Pr. Ademir Martins
    São Leopoldo-RS

    By Blogger paulofranke, at quarta-feira, janeiro 18, 2012 6:27:00 PM  

  • Oi, Franke!

    Desta vez eu li o seu blog antes de você me avisar. Fiquei surpresa com o naufrágio, eu nao sabia. Li, também, algumas historias
    dos hinos, que também não sabia. É sempre muito bom ler os seus escritos.

    Deus continue te iluminando!

    A paz!

    Lygia

    By Blogger paulofranke, at quarta-feira, janeiro 18, 2012 6:30:00 PM  

  • Meu amigo Franke; É tão edificante ler relato como este - marcado por tragédia mesclada com abnegação. Repetindo o que disse a Yara - é uma linda e comovente narrativa poética da tragédia! E vemos em seus personagens salvacionistas, o verdadeiro testemunho cristão - perpetuado na vida daqueles que são, verdadeiramente, "salvos para servir".

    By Blogger Bispo Calegari, at sábado, janeiro 21, 2012 1:44:00 PM  

  • Relato impressionante e comovente. Confesso que desconhecia o episódio.
    Dos três sobreviventes dois eram trombonistas, (instrumento que já toquei na BD do Rio) - quem sabe estavam próximos pelo instrumento comum...Quantas histórias, quantas vidas...E o ES do Canadá continuou "produzindo" excelentes músicos ao longo das décadas seguintes. Tive a oportunidade de ouvir uma dessas gerações nos anos 90 no Teatro Municipal de Niterói - um deleite cultural e espiritual. Havia um jovem trombonista excelente (sei da enorme dificuldade de executar solos em trombone de vara), ele era um autêntico "virtuoso" naquele instrumento.

    By Anonymous Francisco S V Filho, at quinta-feira, junho 05, 2014 4:44:00 PM  

  • "Virtuosi"

    By Anonymous Francisco S V Filho, at quinta-feira, junho 05, 2014 4:46:00 PM  

  • testemunho maravilhosos esse ... dar oportunidade de vida àqueles que ainda poderiam ser salvos pela graça, uma manifestação preciosa daqueles que tem a certeza da Salvação!!!

    By Anonymous Arlete Moraes, at segunda-feira, outubro 06, 2014 10:08:00 PM  

  • olá frank, eu sou salomé de brasilia, hoje eu toco tromps, na assemb de deus, e um pouco de violino, estou frequentando a liga do lar, foi bom saber deste blog, um abraço salvacionista

    By Blogger MARIA SALOME ARAUJO, at sexta-feira, janeiro 16, 2015 12:45:00 AM  

Postar um comentário

<< Home